Irmã de homem assassinado a tiros por engano em rave pede justiça: 'Tinha uma vida inteira pela frente'


João Victor da Silva Lima, de 27 anos, foi um dos três mortos na festa de música eletrônica na cidade de Caucaia, na Grande Fortaleza, em 10 de setembro. Homens armados tentavam matar um rival e acabaram acertando várias pessoas na festa. Victor tinha 27 anos e estava fazendo faculdade. Reprodução Talita Naiara da Silva Lima, irmã de João Victor da Silva Lima, jovem de 27 anos assassinado a tiros por engano em uma festa rave em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, pede justiça e explicações das autoridades sobre a morte do irmão. Ninguém ainda foi preso pelo crime. Em entrevista ao g1, Talita disse que a família passa com dificuldade por esse momento de luto e que estão se mobilizando para cobrar respostas. "Todo mundo está muito abalado. Victor gostava desse tipo de festa. Creio que foi a primeira vez que ele foi nesse canto em específico (local onde a festa aconteceu). No dia, ele foi para lá cedo, tomou café com a minha mãe e partiram (Victor estava acompanhado de uma amiga). Estava tudo numa boa, até que começou a confusão, por volta de 14h", disse. O crime aconteceu na festa "After Explosion", que realizava a edição de comemoração aos cinco anos do evento de música eletrônica. A programação da festa começou às 7h e estava prevista para terminar às 19 horas. Ainda de acordo com Talita, a polícia chegou no momento em que uma briga iniciou, mas não demorou na festa e nem a encerrou. Depois disso, homens armados que tentavam matar um rival, invadiram a rave e acabaram acertando várias pessoas. Jovem assassinado a tiros em rave é sepultado Além de Victor, morreram Jeferson Brendo Pereira da Silva, de 25 anos, que seria o alvo dos suspeitos, e uma mulher de 59 anos, que estava trabalhando no local como vendedora. Outras três pessoas foram baleadas e socorridas. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) disse que as Forças de Segurança do Ceará seguem buscando os suspeitos. Ainda conforme a polícia, Jeferson tinha diversas passagens por homicídios, integrar organização criminosa e corrupção de menores. Pediu para namorado ir buscá-lo João Victor costumava se divertir em festas de música eletrônica. Arquivo pessoal Ainda conforme Talita, Victor ligou para o namorado quando o tiroteio iniciou e pediu para ele ir buscá-lo. Não deu tempo do companheiro chegar a festa. Os dois já estavam juntos há oito anos. "Está sendo muito difícil. João Victor tinha 27 anos de idade, uma vida inteira pela frente. Ele estava estudando, fazendo faculdade. Ele era super calmo e só gostava dessas raves. Não gostava de nenhuma outra festa. Ele não saía de casa para mais nada. Nem beber ele bebia", comentou a familiar ao g1. O g1 teve acesso a audios de colegas de Victor que também estavam na festa. Em um dos relatos, uma pessoa disse que a polícia havia ido na festa avisar que um dos participantes estava sendo procurado e que 'iam matar ele'. "Ele disse que não ia embora de jeito nenhum. Dito e feito: quando chegaram, não estavam nem aí para quem estava perto dele. Mataram ele e várias pessoas ficaram baleadas", detalhou a fonte. Assista aos vídeos mais vistos do Ceará:

source https://g1.globo.com/ce/ceara/noticia/2023/09/19/irma-de-homem-assassinado-a-tiros-por-engano-em-rave-pede-justica-tinha-uma-vida-inteira-pela-frente.ghtml
Close Menu