Apuração da Série Ouro aponta nesta quarta-feira quem sobe ao Grupo Especial; g1 transmite


São 9 quesitos, 4 jurados em cada um, e a menor nota é descartada. Somente a campeã garante a vaga na elite. União de Maricá desfila na Sapucaí Aline Fonseca/Riotur O g1 transmite nesta quarta-feira (14), por volta das 20h, a apuração da Série Ouro. A leitura das notas apontará a única escola promovida à elite do samba em 2025. Mais cedo, às 16h, o g1 acompanha a apuração do Grupo Especial, para conhecer a grande campeã do carnaval carioca. União de Maricá e Inocentes de Belford Roxo são destaques no primeiro dia da Série Ouro Império, UPM e Ilha sobressaem na 2ª noite da Série Ouro O regulamento é bem semelhante ao do Grupo Especial. Das 4 notas de cada um dos 9 quesitos, a menor será descartada. O avaliador concede entre 9 e 10 pontos, podendo fracioná-los em décimos (9,1; 9,2; 9,3...), devendo justificar sempre que não der a nota máxima — idealmente, o jurado precisa apontar especificamente onde e quando viu a falha. Por volta do meio-dia, haverá o sorteio da ordem dos quesitos, que tantas vezes deu o título na sorte a uma escola. O último a ser lido será o primeiro no critério de desempate. Ao contrário do Grupo Especial, que prevê empate se duas ou mais escolas obtiverem os mesmos subtotais das notas válidas nos 9 quesitos — algo que não acontece por lá desde 1998, quando Beija-Flor e Mangueira dividiram a taça —, na Série Ouro um sorteio será realizado em último caso, pois só uma escola subirá. Já as duas escolas com a pior pontuação descem para a Série Prata e desfilarão na Intendente Magalhães em 2025. Onde os jurados estavam Os 36 jurados foram divididos em 3 módulos: Metade deles — 2 por quesito — ficou no Setor 3; Nove — 1 para cada quesito — no Setor 6; E os outros 9 no Setor 10. Comissões de frente e casais de mestre-sala e porta-bandeira obrigatoriamente tiveram de se apresentar em cada cabine de jurados. O que cada quesito julga Em ordem alfabética: Alegorias e adereços: é dividido nos subquesitos concepção e realização. No primeiro, avaliam-se a adequação dos itens ao enredo e a criatividade, desde que haja significado. No segundo, valem a impressão causada pelas formas, materiais e cores, o acabamento (inclusive das partes traseiras e geradores) e o papel e a fantasia dos destaques. Perde pontos a escola que deixar pedaços de fantasias, materiais estranhos ou geradores aparentes. Bateria: a manutenção regular e a sustentação da cadência em consonância com o samba-enredo; a perfeita conjugação dos sons emitidos pelos vários instrumentos; e a criatividade e a versatilidade. Comissão de Frente: em indumentária, a capacidade de impactar o público. Em apresentação, se o saudaram e se foram coordenados e síncronos. Perde ponto a comissão que perder parte da roupa. Enredo: em concepção, valem o argumento, o desenvolvimento a importância e a densidade cultural. O jurado avalia a clareza, a coerência e a coesão na roteirização do desfile, de modo a facilitar o entendimento do tema. Também conta pontos a criatividade no enfoque ou “recorte” escolhido. Em realização, é vista a adaptação do conceito para o que é apresentado na Avenida, como a sequência das alas e alegorias, a criatividade e a carnavalização do tema proposto. Perde pontos a escola que não apresentar na pista alegorias, tripés ou alas descritos no roteiro. Itens a mais ou trocados também geram punição. Evolução: é a fluência da apresentação. O julgador avalia a espontaneidade, a criatividade, a empolgação e a vibração dos desfilantes, bem como a coesão do desfile —a manutenção de espaçamento o mais uniforme possível entre alas e alegorias. Perde pontos a escola que deixar buracos ou permitir que alas se misturem. Fantasias: em concepção, a adequação ao enredo e a criatividade. Em realização, a impressão causada pelas formas, materiais e cores; o acabamento e a leveza; e a uniformidade de detalhes. Perde ponto a escola com desfilantes com roupas incompletas. Harmonia: é o entrosamento entre o ritmo e o canto, e o avaliador deve estar atento à perfeita igualdade do canto do samba-enredo pelos componentes, em consonância com o intérprete e a manutenção da tonalidade; há punição se qualquer integrante for flagrado sem cantar. Mestre-sala e Porta-bandeira: contam pontos a roupa, o bailado, a harmonia do casal e a proteção do pavilhão. Perde ponto a dupla que deixar a bandeira enrolar ou que perder parte da fantasia. Samba-enredo: para a letra, adequação ao enredo, a riqueza poética, beleza e bom gosto e à adaptação dos versos com os desenhos melódicos. Para a melodia, as características rítmicas, a riqueza, a beleza e o bom gosto e a capacidade de facilitar o canto e a dança dos desfilantes.

source https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/carnaval/2024/noticia/2024/02/14/apuracao-da-serie-ouro-aponta-nesta-quarta-feira-quem-sobe-ao-grupo-especial-g1-transmite.ghtml
Close Menu