Tocantins já registrou mais de 10 milhões de raios em 2023; entenda por que estado é tão elétrico


Levantamento aponta que em outubro caíram mais de 846 mil raios e em setembro foram pouco mais de 304 mil. Até outubro foram registradas 10.859.352 descargas elétricas, número já supera todo ano de 2022. Mais de 10 milhões de raios já atingiram o Tocantins em 2023 Estar posicionado praticamente no ‘caminho’ de tempestades que surgem na região norte faz com que o Tocantins seja um dos estados com maior registro de descargas elétricas do país. Entre os meses de setembro e outubro, a incidência de raios deu um salto de mais de 304 mil para mais de 846 mil descargas. Ou seja, aproximadamente 541 mil raios a mais. Os dados são do Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Elat/Inpe). O mês com maior número de raios registrados é fevereiro, com 2.782.372. De janeiro até o dia 26 de outubro, teve 10.859.352 descargas. O ano ainda não chegou ao fim e o número já superou a quantidade de raios que caíram no estado em 2022, de 8.217.632. Tocantins registrou mais de 800 mil raios em outubro Energisa/Divulgação Segundo o coordenador do Elat/Inpe, Osmar Pinto Junior, a grande quantidade de raios registrados no Tocantins é resultado da posição geográfica que o estado tem, além da umidade. “Boa parte das tempestades do Brasil surge na região amazônica, passa pelo oeste e chegar ao sudeste. Muito dessa umidade passa por cima da região. E isso realmente faz com que o Tocantins tenha um número de raios muito grande”, destacou o especialista, afirmando que o calor também contribui com a situação. Dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica mostram que os meses com menor incidência de descargas são junho e julho. Segundo o coordenador, isso é normal em todo o país, pela menor quantidade de chuvas. Descargas atmosféricas em 2023 no Tocantins Raios por metro quadrado Quando o assunto diz respeito às descargas por metro quadrado, o Tocantins aparece no topo do ranking. De acordo com levantamento realizado pelo Elat/Inpe em 2021, a densidade de raios registrados por quilômetro quadrado por ano é de 17,1. Em seguida aparecem os estados do Amazonas e Acre (15,8), Maranhão (13,3) e Pará (12,4), nas primeiras colocações. Essa medição, segundo o coordenador do Elat/Inpe, leva em consideração as áreas dos estados para se ter uma comparação mais justa. Tocantins registra altos índices de raios Divulgação/Energisa “É o número de raios por quilômetro quadrado. Você pode comparar estado grande com estado pequeno, porque está dividido pela área. O estado de Alagoas que é bem pequeno, com o Amazonas não dá para comparar. Claro que estado maior vai ter mais raios. Se divide o número de raios pela área do estado. Aí ficam assim, equiparados”, explicou Osmar. Levando em consideração levantamento de descargas atmosféricas de 2018 a setembro de 2023, o Tocantins ocupa a 10ª posição com uma densidade de 126 raios por km² distribuídos em uma área de 277.424 km². Conforme o coordenador do Elat/Inpe, a previsão de realização do próximo levantamento será o início do próximo ano, para fazer o balanço das descargas que atingiram o país em 2023. Mas que os dados de 2021 ainda são válidos para este ano, já que a os números não têm grandes variações. Até o fim do ano, Osmar acredita que a quantidade de raios deve ser igualmente elevada. “A expectativa é que novembro tenha incidência muito alta. Em dezembro deve declinar um pouco, mas ainda vai ser alta. Mas novembro não deve ser abaixo de outubro. Em outubro a gente chegou à faixa de 800 mil até agora e pode chegar em torno de um milhão. Em novembro vamos ter a faixa de um milhão”, afirmou o especialista. LEIA TAMBÉM: Mais de 7,7 mil raios caem no Tocantins em 24 horas e descarga elétrica deixa parte da região sul de Palmas no escuro Raio cai em pé de pequi e mata gado durante tempestade em fazenda do Tocantins Cuidados Com o período de chuvas é hora de tomar cuidado com os raios No último dia 25 de outubro, uma descarga elétrica causou um princípio de incêndio na Subestação Taquaralto, que atende a região sul de Palmas. O incidente deixou mais de 6,9 mil casas no escuro por cerca de duas horas. Para evitar acidentes relacionados a descargas elétricas dentro ou fora de casa, principalmente agora com o início do período chuvoso, a Energisa, concessionária responsável pela distribuição de energia no estado, tem as seguintes orientações durante temporais: Retire os aparelhos eletroeletrônicos das tomadas; Nunca utilize aparelho conectado à tomada durante temporais; Os cabos telefônicos, cabos de TV por assinatura e fiação de antenas são capazes de conduzir a corrente elétrica dos raios até os aparelhos. Por isso, é aconselhável retirar os aparelhos eletrônicos (normalmente mais sensíveis) das conexões com rede de telefonia, TV a cabo e antena externa; Sempre que puder, aterre a rede elétrica da residência ou comércio; Não utilize chuveiro (secador, chapinha etc); Quando ouvir os trovões, nunca fique em campo aberto. Procure abrigo imediatamente em construções e feche os vidros e janelas; Se não for possível se abrigar, agache-se, com as mãos na nuca e pés juntos; Não fique embaixo de árvores ou próximo a torres; Se estiver dentro de um carro, feche as janelas e aguarde a tempestade passar para poder sair. O carro oferece uma boa proteção contra raios; E não toque em fios caídos ou em objetos que estejam em contato com a rede elétrica, eles podem estar energizados. Seja qual for a situação, a população não deve se aproximar da rede elétrica, mas sim entrar em contato a Energisa por meio do 0800 721-3330, do aplicativo Energisa On ou do site www.energisa.com.br. Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

source https://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/2023/11/03/tocantins-ja-registrou-mais-de-10-milhoes-de-raios-em-2023-entenda-por-que-estado-e-tao-eletrico.ghtml
Close Menu