Túneis usados pelo Hamas para entrar em Israel são bombardeados no 4º dia de conflito


Mais de 1.500 pessoas morreram no conflito, que começou no sábado (7) após um ataque do Hamas contra Israel. Militares israelenses posicionados na região da fronteira com a Faixa de Gaza, em 9 de outubro de 2023 AP Photo/Oren Ziv Militares israelenses informaram que bombardearam dois túneis usados pelo Hamas para entrar em Israel, nesta terça-feira (10). Esta é o quarto dia de conflito entre o país e o grupo terrorista. Mais de 1.500 pessoas morreram. As forças armadas de Israel não informaram onde os túneis foram localizados. Os bombardeios acontecem um dia depois de 70 militantes conseguirem se infiltrar em uma região agrícola ao sul do país, na segunda-feira (8). Túneis já foram usados pelo Hamas no passado para o contrabando de armas entre o Egito e a Faixa de Gaza. Em 2006, Israel também descobriu passagens subterrâneas que poderiam dar acesso ao país feitas por outro grupo, o Hezbollah. O conflito entre Israel e o Hamas começou no sábado (7), quando o grupo terrorista lançou centenas de foguetes contra diversas cidades israelenses. Homens armados também invadiram o país por terra, por água e pelo ar. Os ataques foram revidados por Israel, que declarou estado de guerra. Desde então, os militares israelenses anunciaram que vários endereços ligados ao Hamas na Faixa de Gaza foram bombardeados. Por outro lado, o Hamas sequestrou mais de 100 pessoas em Israel e prometeu, nesta segunda-feira (9), executar reféns a cada ataque que sofrer. Já Israel afirmou que Gaza vai pagar um "preço pesado" pelo conflito, convocando 300 mil reservistas. O país também orientou palestinos a saírem de casa. Segundo a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para palestinos refugiados, 187.500 pessoas deixaram suas casas na Faixa de Gaza e são consideradas deslocadas. Milhares estão abrigadas em escolas com o auxílio da ONU. Infográfico explica início do conflito em Israel Arte/g1 O que aconteceu até agora? ▶️ Como foi o ataque? As ações se concentraram perto da fronteira da Faixa Gaza, de onde Hamas lançou lançados 5 mil foguetes. Por terra, ar e mar, com motos e parapentes, homens armados invadiram o território israelense pelo sul do país. Houve relatos de que os invasores atiraram em pessoas que estavam nas ruas e sequestraram dezenas de israelenses (incluindo mulheres e crianças), levados como reféns para Gaza. ▶️ Como foi a resposta de Israel? Diante da ofensiva do Hamas, o governo israelense iniciou uma retaliação. "Estamos em guerra e vamos ganhar", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, logo após o ataque. "O nosso inimigo pagará um preço que nunca conheceu." Ainda em 7 de outubro, Israel lançou bombas em direção à Faixa de Gaza. ▶️ Quantas pessoas morreram? O balanço mais recente das autoridades locais indica que quase 1.600 pessoas morreram, sendo 900 em Israel, 687 na Faixa de Gaza e sete na Cisjordânia. Milhares de pessoas ficaram feridas. ▶️ O que é e onde fica Faixa de Gaza? É território palestino localizado em um estreito pedaço de terra na costa oeste de Israel, na fronteira com o Egito. Marcado por pobreza e superpopulação, tem 2 milhões de habitantes morando em um território de 360 km² -- um pouco menor que Santa Catarina. Tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967, e entregue aos palestinos em 2005, Gaza vive um bloqueio de bens e serviços imposto por seus vizinhos de fronteira. ▶️ Qual é o histórico do conflito na região? A disputa entre Israel e Palestina se estende há décadas e já resultou em inúmeros enfrentamentos armados e mortes. Em sua forma moderna, remonta a 1947, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs a criação de dois Estados, um judeu e um árabe, na Palestina, sob mandato britânico. VÍDEOS: conflito entre Israel e Hamas

source https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/10/10/israel-hamas-conflito-faixa-de-gaza-quarto-dia.ghtml
Close Menu