Com samba para Conceição Evaristo, Zilá Lima canta memórias afro-brasileiras em álbum que traz última capa de Elifas Andreato


Zilá Lima lança o álbum 'Cantando memórias' em 12 de outubro com 13 músicas no repertório inteiramente autoral Alessandra Tolc / Divulgação ♪ Influente escritora de ascendência africana, Conceição Evaristo ganha samba de roda composto por Zilá Lima e gravado pela artista carioca no álbum autoral Cantando memórias. No samba intitulado Conceição Evaristo, a cantora e compositora traça painel biográfico da linguista afro-brasileira, da infância pobre em Belo Horizonte (MG) até a consagração nacional no meio literário a partir da década de 1990, quando Conceição Evaristo já havia se radicado na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Conceição Evaristo, o samba, é uma das 13 músicas que compõem o repertório inteiramente autoral de Cantando memórias, primeiro álbum de Zilá, programado para ser lançado em 12 de outubro com capa assinada por Elifas Andreato (1946 – 2022), em um dos últimos trabalhos do ilustrador e artista visual morto em março do ano passado. A capa do disco expõe a figura de pensador de Angola em imagem de origem Tchokwe, nome que designa povo exponencial daquele país africano. No álbum, gravado com produção musical do percussionista Celsinho Silva e arranjos do violonista Rogério Souza, Zilá Lima canta memórias da diáspora africana, exalta heroínas negras, celebra manifestações culturais afro-brasileiras e versa sobre espiritualidade em repertório dominado pelo samba. O gênero dita o ritmo de músicas como Ô de casa, Foi no Valongo (sobre dores ancestrais que ecoam no Cais do Valongo, antigo cais localizado na zona portuária carioca que serviu de porta de entrada no Brasil para um milhão de negros africanos escravizados no país), Eu não ando sozinha, Deixa o vento passar, Berimbau (ode ao instrumento que serve de ponto de partida para a criação de grande parte das músicas de Zilá Lima), Nunca se deixe desanimar e Vou voltar pra Angola. No álbum Cantando memórias, a artista também transita por afro-choro (Flor d'água, parceria de Zilá com Saulo Ligo), canção praieira (Jangadeiro) e ijexá (Mãe África). Capa do álbum 'Cantando memórias', de Zilá Lima Arte de Elifas Andreato

source https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2023/10/08/com-samba-para-conceicao-evaristo-zila-lima-canta-memorias-afro-brasileiras-em-album-que-traz-ultima-capa-de-elifas-andreato.ghtml
Close Menu