carnaval de ofertas

Zoológico de BH não recebeu propostas de empresas para concessão, diz prefeitura


De acordo com administração municipal, concessão das unidades da Fundação Zoobotânica foi "deserta" - ou seja, ninguém se inscreveu para o processo. Elefantes são atrações no Zoo de BH. Suziane Fonseca/Zoo BH O Jardim Zoológico, o Aquário da Bacia do Rio São Francisco e o Jardim Botânico de Belo Horizonte, que seriam concedidos à iniciativa privada por 30 anos, não receberam propostas de empresas. A informação foi divulgada pela prefeitura da capital nesta quinta-feira (14). De acordo com a administração municipal, a concessão das unidades da Fundação Zoobotânica foi "deserta" - ou seja, ninguém se inscreveu para o processo. ✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 MG no WhatsApp.⚠️O grupo antigo será desativado. Mesmo se você já faz parte da nossa comunidade, é preciso se inscrever novamente. O que a prefeitura ofereceu? Em agosto de 2023, a prefeitura publicou um edital para concessão das três áreas da Fundação Zoobotânica durante 30 anos a investidores interessados. O objetivo era possibilitar melhorias e modernização das estruturas sem custos ao poder público. Entrada principal do Zoo de BH na Avenida Otacílio Negrão de Lima. Reprodução/TV Globo Foram previstos investimentos de R$ 233 milhões durante os primeiros quatro anos da concessão, além de uma outorga fixa, de no mínimo R$ 720.973,04, e outorgas variáveis, de 1,5% do lucro anual. Inicialmente, a outorga fixa foi estipulada em R$ 9 milhões. No entanto, a prefeitura reduziu o valor depois de adequações no edital "que impactaram significativamente a projeção de custos e receitas". Um exemplo foi a inclusão de novas obrigações à concessionária, como os investimentos socioambientais, não previstos anteriormente. Como contrapartida pelos aportes financeiros e gestão dos espaços, o administrador poderia explorar a venda de ingressos e atividades comerciais nos restaurantes, lanchonetes e estacionamento, além de outros serviços como fonte de receita. A Secretaria Municipal de Fazenda chegou a calcular um novo referencial para a entrada dos visitantes, sugerindo que a empresa vencedora da licitação cobrasse o valor de R$ 50. Atualmente, o bilhete mais caro custa R$ 12,45, aos domingos e feriados. E agora? O g1 Minas perguntou à prefeitura se um novo edital será aberto, mas ainda não obteve retorno. Por ora, a gestão dos espaços continua com a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB). Os vídeos mais vistos do g1 Minas:

source https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2023/09/15/zoologico-de-bh-nao-recebeu-propostas-de-empresas-para-concessao-diz-prefeitura.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem