carnaval de ofertas

Maroon 5 repete fórmula em show cansado no The Town

Vocalista apareceu com voz prejudicada e menos animado que de costume. No palco, disse que 'Brasil é melhor lugar do planeta para tocar'. Maroon 5 faz o público do The Town cantar em coro o sucesso "Sunday Morning" Antes de tocar no The Town, nesta quinta-feira (7), o Maroon 5 veio ao Brasil para participações no Rock in Rio, evento dos mesmos organizadores, em 2011 e 2017, e para shows em 2020 e 2022. Em mais de dez anos de passagens pelo país, a performance pouco mudou. THE TOWN 2023 Assista aos shows dos palcos principais 3º DIA Veja fotos dos shows Veja a programação completa Os californianos seguem apostando nos mesmos hits e na pose de galã do vocalista, Adam Levine, que, para tristeza de muitos fãs presentes, só tirou a camisa nos segundos finais do show — geralmente ele tira antes. O líder do grupo apareceu no The Town com a voz prejudicada e menos animado do que de costume. Isso e a fórmula desgastada fizeram a apresentação soar cansada e preguiçosa. O show começa suingado com "Moves Like Jagger" e "This Love", dobradinha que mostra bem a mudança de sonoridade do grupo ao longo dos anos. A primeira música, megahit de 2011, é um dance-pop gravado com Christina Aguilera, com introdução assoviável e Levine mostrando os músculos no clipe. Fórmula pronta para estourar. A segunda, do álbum de estreia "Songs About Jane" (2002), é um despretensioso pop rock de piano inspirado em Stevie Wonder. O show segue com sucessos como "One More Night", "Animals" e "Sunday Morning", mais um piano dos primórdios da carreira. No palco, os integrantes do Maroon 5 têm o entrosamento que só 20 anos de shows para multidões podem oferecer. Eles sabem que o repertório é poderoso e o público do Brasil é fiel. Não é necessário muito esforço para engajar a plateia. Mas também não conseguem a empolgação de apresentações de nível bem mais alto, como a do astro pop Bruno Mars, que cantou no domingo (3). "A gente não diz isso em todo lugar. O Brasil é o melhor lugar do planeta para tocar", elogiou Levine, como sempre faz em passagens por aqui. "Obrigada por nos apoiarem em tudo". Em outro momento, ele repetiu a declaração e fez o agradecimento em português. O que talvez chegue mais perto de um risco assumido pela banda no show -- que não apareceu nas outras vindas ao Brasil -- é um cover de Prince em "I Wanna Be Your Lover". Levine dançou e circulou pelo palco em interpretação sensual, mas a recepção da plateia foi morna. Outra novidade é "Heavy", faixa gravada em um projeto solo do tecladista da banda, PJ Morton, com participação do vocalista. Os dois cantam em dueto. No bis, Levine voltou com uma camisa da Seleção Brasileira para um momento acústico que começou com 'Won't Go Home". o show termina romântico. "She Will Be Loved", outra do "Songs About Jane" que ajudou a projetar o Maroon 5 para o mundo, é cantada em coro com muitos celulares para cima. E, finalmente, "Sugar": enjoativa para alguns, mas amada por muitos como "a música dos casamentos" -- o clipe, um dos mais famosos da grupo, mostra os integrantes invadindo casórios reais. Depois de Bruno Mars com a sua "Marry You", casais ganharam uma nova oportunidade para selar compromisso na plateia do festival.

source https://g1.globo.com/pop-arte/musica/the-town/2023/noticia/2023/09/08/maroon-5-repete-formula-em-show-cansado-no-the-town-com-adam-levine-de-camisa-o-tempo-todo.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem