Guerra na Ucrânia: por que Putin começou a posicionar armas nucleares em Belarus


A Rússia estacionou seu primeiro lote de armas nucleares táticas na Bielo-Rússia, segundo o presidente Vladimir Putin. Vladimir Putin em imagem de 16 de junho de 2023 Ramil Sitdikov/Reuters A Rússia enviou seu primeiro lote de armas nucleares táticas em Belarus, anunciou o presidente Vladimir Putin. Falando em um fórum econômico, ele disse que as armas só seriam usadas ​​se o Estado da Rússia fosse ameaçado. Por outro lado, o governo dos Estados Unidos afirma que não há indicação de que o Kremlin planeja usar armas nucleares para atacar a Ucrânia. "Não vemos indicação de que a Rússia esteja se preparando para usar uma arma nuclear", disse o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, após os comentários de Putin. Belrus é um importante aliado da Rússia e serviu como uma das plataformas de lançamento para a invasão em grande escala da Ucrânia por Putin em fevereiro do ano passado. Putin disse que a transferência das ogivas nucleares táticas seria concluída até o final do verão no hemisfério norte. Respondendo a perguntas após um discurso no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, o presidente da Rússia disse que a medida era sobre "contenção" e para lembrar a todos "que pensam em nos infligir uma derrota estratégica". "Por que devemos ameaçar o mundo inteiro? Já disse que o uso de medidas extremas é possível caso haja perigo para o Estado russo", disse Putin em resposta a uma pergunta do mediador do encontro. Rússia bombardeia cidade natal do presidente da Ucrânia Negociações distantes Putin deve se encontrar com líderes de países africanos em São Petersburgo depois que eles visitaram Kiev na sexta-feira como parte de uma iniciativa de paz que estão apresentando a ambos os países. No entanto, enquanto eles estavam na cidade, ela foi atacada por mísseis russos. O presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, pediu uma trégua entre os países e negociações para a paz. "Viemos aqui para ouvir e reconhecer o que o povo da Ucrânia passou", disse ele. Mas o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que, em vez de fazer aberturas diplomáticas com a Rússia, ela deveria ser congelada diplomaticamente para enviar uma mensagem de que a comunidade internacional condena a invasão. Kiev não entrará em negociações com Moscou enquanto a Rússia não deixar o território ucraniano, disse Zelensky. Já Putin também repetiu sua afirmação de que a Ucrânia não tinha chance de sucesso em sua contra-ofensiva em andamento. O exército ucraniano também estava ficando sem seu próprio equipamento militar e em breve usaria apenas equipamentos doados pelo Ocidente, disse Putin. "Não se pode lutar por muito tempo assim", disse ele, alertando que qualquer caça F-16 dos EUA dado à Ucrânia "vai queimar, sem dúvida". A Ucrânia já havia criticado comentários semelhantes, afirmando que está progredindo na recaptura de território no leste e no sul do país. Na sexta-feira, a vice-ministra da Defesa da Ucrânia, Hanna Malyar, disse que no sul do país as unidades militares avançaram 2 km em todas as direções. A BBC não conseguiu confirmar independentemente as informações sobre o campo de batalha. O líder russo também abordou temas econômicos no encontro, alegando que as sanções do Ocidente à Rússia não conseguiram isolá-la e, em vez disso, levaram a uma expansão de seu comércio com "os mercados do futuro". Ele elogiou novos acordos com países da Ásia, Oriente Médio e América Latina - chamando-os de "parceiros confiáveis ​​e responsáveis".

source https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/06/17/guerra-na-ucrania-por-que-putin-comecou-a-posicionar-armas-nucleares-em-belarus.ghtml
Close Menu