".

Javier Milei diz que Pedro Sánchez da Espanha é 'incompetente, mentiroso e covarde'


A Espanha anunciou na terça-feira que vai retirar de forma definitiva sua embaixadora na Argentina. Milei foi participar de um evento organizado pela extrema direita espanhola e não se encontrou com o premiê nem com o rei da Espanha, que é o chefe de Estado do país. Espanha exige pedido de desculpas após fala de Milei O presidente Javier Milei, da Argentina, afirmou em entrevista divulgada nesta quinta-feira (23) pelo jornal "La Nación" que Pedro Sánchez, o presidente da Espanha, é "um incompetente, mentiroso e covarde". Os líderes dos dois países estão trocando críticas e acusações, e a Espanha retirou sua embaixadora de Buenos Aires. Ao ser perguntado pelo jornal o que pensava de Sánchez, Milei afirmou que o espanhol mandou os ministros o agredirem. "Ele quis intervir na política argentina e ter um papel na política argentina, depois me mandou agredir pelos seus ministros, não teve nem mesmo coragem de fazer isso. Com o revés com o ministro de Transportes, mandou mulheres me agredir para tentar me enquadrar como misógino" (leia mais abaixo como a crise diplomática começou). O argentino afirmou que depois desse incidente, "Sánchez usou o aparato do Estado para responder, mesmo colocando em xeque a relação bonita entre os povos da Espanha e Argentina, e hoje ele é uma piada da Europa quando o assunto é diplomacia". ✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp Entenda a briga A briga entre os dois começou em 3 de maio, quando o ministro de Transportes espanhol, Óscar Puente, afirmou que Milei "usa substâncias" (ou seja, drogas). Após essa declaração do ministro, o gabinete presidencial da Argentina repudiou as "calúnias e difamações" e disse que "o governo de Pedro Sánchez tem problemas mais importantes para lidar, como as acusações de corrupção que pairam sobre sua esposa, questão que o levou até a considerar sua renúncia". Trata-se de uma referência a Begoña Gómez, mulher de Sánchez, que foi investigada pelo Ministério Público espanhol. Em abril, a Justiça espanhola aceitou uma denúncia contra a esposa do premiê, Begonã Gómez, feita pela associação Manos Limpias, um coletivo ligado à extrema direita que Sánchez acusa de estar perseguindo sua família há anos. A Manos Limpias acusou Gómez de tráfico de influência e corrupção empresarial. No entanto, o Ministério Público arquivou depois a investigação com a alegação de que as provas apresentadas -- informações da imprensa indiretamente relacionadas à esposa de Sánchez -- não eram suficientes. Após a declaração de Milei sobre a mulher de Sánchez, a Espanha exigiu que o presidente argentino pedisse desculpas. Pedro Sánchez exigiu "respeito" a Milei e afirmou que, se não houvesse uma retratação, o governo espanhol tomaria medidas. Milei respondeu que não iria se desculpar porque foi atacado. A situação piorou no domingo. Milei viajou a Madri para participar de um encontro do partido de extrema direita Vox. Ele não se encontrou nem com Sánchez e nem com o rei, que é o chefe do Estado. Na reunião do Vox, ele afirmou que "as elites globais não percebem o quão destrutivo pode ser implementar as ideias do socialismo, porque é algo muito distante para elas, não sabem que tipo de sociedade e país isso pode produzir, que tipo de gente está no poder e quais níveis de abuso podem gerar". Sánchez é do Partido Socialista Espanhol. Milei seguiu em seu discurso e afirmou: "Quer dizer, mesmo que ele tenha uma mulher corrupta, ele se suja e leva cinco dias para pensar nisso". A Espanha então chamou sua embaixadora em Buenos Aires para consultas. O ministro das Relações Exteriores da Espanha, José Manuel Albares, disse que não há precedentes de um chefe de Estado insultar instituições de outro país, referindo-se a críticas de Milei às "ideias do socialismo" em um evento do Vox em Madri. Na terça-feira, Albares afirmou que o país retirou seu embaixador de Buenos Aires. Milei respondeu à retirada do embaixador chamando a decisão de "um absurdo típico de um socialista arrogante" e afirmou que não convocará o embaixador argentino na Espanha, Roberto Bosch. A medida não significa rompimento das relações diplomáticas, já que um encarregado de negócios continuará na embaixada. O presidente argentino, Javier Milei, fala em conferência da extrema direita em Madri, na Espanha, em 19 de maio de 2024. Manu Fernandez/ AP

source https://g1.globo.com/mundo/noticia/2024/05/23/javier-milei-diz-que-pedro-sanchez-da-espanha-e-incompetente-mentiroso-e-covarde.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem

Ads

Facebook