carnaval de ofertas

Veja o que se sabe e o que falta saber no caso do líder espiritual preso suspeito de estupros no interior de SP


Novas vítimas procuraram a polícia depois da repercussão do caso e delegada estima que número possa chegar a 50. Defesa nega as acusações. Jessey Maldonado Monteiro teve a prisão preventiva confirmada pela Justiça Wesley Justino/EPTV A Polícia Civil de Socorro, no interior de SP, deve ouvir nesta quarta-feira (17) o depoimento formal de duas novas denunciantes no inquérito que investiga o líder espiritual Jessey Maldonado Monteiro, de 49 anos. Ele foi preso na última segunda suspeito de estuprar mulheres durante atendimentos "terapêuticos" em um templo de umbanda. Segundo a polícia, as novas testemunhas afirmam que também foram violentadas sexualmente pelo suspeito e se somam a outras seis mulheres que já denunciaram o caso à polícia. Jessey teve a prisão preventiva mantida pela Justiça nesta terça-feira (16) e foi transferido para o sistema prisional. A defesa do suspeito nega as acusações e diz que vai recorrer da prisão. Veja a íntegra do posicionamento do advogado no final desta reportagem. 📲 Participe do canal do g1 Campinas no WhatsApp A Polícia Civil deve avançar ao longo desta semana em outras frentes na investigação, por isso, o g1 separou o que já se sabe e o que ainda falta saber sobre o caso. O que já se sabe: Quem é o suspeito Quais crimes são investigados Número de vítimas Como ele atuava O que falta saber: Se havia vídeos das sessões no material apreendido Qual a participação da mãe de santo no caso Quem é o suspeito Jessey Maldonado Monteiro, de 49 anos, atuava na área da saúde há 20 anos e, atualmente, era chefe do setor de radiologia da Santa Casa de Socorro. Ele é casado e pai de um filho. Segundo a polícia, o suspeito fazia atendimentos terapêuticos diversos em um consultório na casa dele e também atuava como líder espiritual no templo de umbanda se descrevendo como uma pessoa "com poderes superiores". Entre os serviços oferecidos pelo suspeito, estavam: Ozonioterapia Quiropraxia Terapias psicológicas Massagens Hipnoses Terapias de regressão Novas vítimas denunciam líder espiritual por abuso sexual em Socorro Quais crimes são investigados O inquérito policial contra o líder espiritual investiga se ele cometeu quatro crimes: Estupro: pela suspeita de ter tido conjunção carnal com as vítimas mediante violência. Violação sexual mediante fraude: pela suspeita de ter abusado sexualmente das vítimas como se fosse uma terapia. Exercício irregular da profissão: por oferecer serviços de terapias psicológicas e quiropraxia sem a formação necessária. Curandeirismo: pela suspeita de oferecer curas milagrosas a problemas físicos e emocionais em troca de pagamentos. Suspeito foi preso pela Polícia Civil de Socorro nesta terça-feira (16) Wesley Justino/EPTV Número de vítimas A delegada Leise Silva Neves, responsável pelas investigações, estima que o número de vítimas possa chegar a 50, mas, até esta terça-feira (16), seis vítimas haviam prestado depoimento formal à polícia denunciando o suspeito. Esse número que pode chegar a 11, já que, segundo a polícia, o quadro está assim: Dez depoimentos formais prestados à polícia, sendo seis vítimas e quatro testemunhas; Três depoimentos de novas mulheres vítimas marcados para esta semana; Após a repercussão do caso, duas outras mulheres, que também se dizem vítimas do suspeito, manifestaram, por telefone à delegacia, o desejo de denunciar o caso. Massagens e água suspeita: como ele atuava Segundo a Polícia Civil, as violências sexuais aconteceram na casa do suspeito, onde ele realizava as terapias, e na Santa Casa de Socorro, onde ele atuava como técnico de raio-x e chefe do setor de radiologia. No caso das agressões durante as terapias, as mulheres iam em busca de soluções para problemas físicos e emocionais, mas, segundo a delegada do caso, os relatos são de abusos. "Ele sempre tentava convencer elas a fazer massagem com ele, dizendo que a massagem era o mais indicado", explicou. Além de utilizar muito óleo durante as massagens, o homem oferecia um copo d’água com a desculpa de que “a água é uma condutora elétrica essencial para a terapia”. A polícia vai investigar se era algum tipo de sedativo, já que as vítimas relataram sonolência e falta de força durante as sessões, e, por isso, não conseguiam reagir aos abusos. Vídeos das sessões no material apreendido Na casa do suspeito, a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (15) e localizou várias câmeras de monitoramento na parte interna, onde funcionava o "consultório". Por isso, vai investigar se ele gravava as sessões de tratamento. Pen drives, um celular e aparelhos de mídia apreendidos vão passar por perícia. Agentes também apreenderam no local remédios, equipamentos médicos, brinquedos sexuais, seringas, várias munições e duas armas de fogo, sendo uma delas ilegal. Acessórios sexuais, seringas e outros itens foram apreendidos na casa do suspeito. Polícia Civil/Divulgação A participação da mãe de santo no caso As mulheres que denunciaram Jessey disseram, em depoimento à polícia, que o conheceram por indicação da mãe de santo de um templo de ubanda da cidade. De acordo com a delegada, no local ele era tratado como se fosse um deus: "falava que era da quinta dimensão, uma espécie de bruxo, que tinha poderes especiais”, afirmou. Por isso, a Polícia Civil vai investigar se havia alguma participação dessa mãe de santo no caso. À EPTV, afiliada da Globo, o templo religioso mar da espiritualidade negou qualquer participação nos crimes e se solidarizou com as vítimas "se comprometendo a auxiliar a autoridade policial na apuração dos fatos". Delegada Leise Silva Neves, titular da delegacia de Socorro (SP) Wesley Justino/EPTV Posicionamento da defesa O advogado Ricardo Rafael Pires de Oliveira, que patrocina a defesa do investigado informa que não se manifestará sobre o mérito do caso, uma vez que os autos se encontram em segredo de justiça, e que no momento oportuno demonstrará toda a improcedência acusatória. A respeito da prisão preventiva decretada, a defesa informa que, respeita a decisão, mas irá recorrer, pois os argumentos utilizados não encontram respaldo legal, onde a presunção da inocência deve prevalecer, sua decretação é uma afronta aos princípios basilares do Estado Democrático de Direito, regras que regem o processo penal brasileiro. Posição da Santa Casa de Socorro A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Socorro informa que está totalmente supresa com os últimos acontecimentos envolvendo o Sr. J.M.M e que não tinha qualquer conhecimento sobre os casos de abuso sexual supostamente cometidos por ele. A entidade manifesta encarecidamente a sua solidariedade às eventuais vítimas. No mais, se coloca inteiramente à disposição das autoridades para auxiliar no deslinde da questão, caso seja necessário. VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e Região Veja mais notícias sobre a região na página do g1 Campinas.

source https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2024/01/17/veja-o-que-se-sabe-e-o-que-falta-saber-no-caso-do-lider-espiritual-preso-suspeito-de-estupros-no-interior-de-sp.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem