carnaval de ofertas

João Carreiro: relembre a trajetória do artista percursor do 'sertanejo raiz'


Cantor morreu na noite desta quarta-feira (3), depois de passar por uma cirurgia no coração. O sertanejo deixa um legado de amor pela música sertaneja tradicional. Natural de Cuiabá (MT), a trajetória do artista no mundo da música sertaneja começou ainda quando criança. Juan Galeano / Reprodução Facebook João Carreiro O cantor e compositor João Carreiro, conhecido por propagar o som da viola caipira e levar o 'sertanejo raiz' para os palcos, morreu nessa quarta-feira (3), aos 41 anos, em Campo Grande (MS), após não resistir a uma cirurgia para colocada de uma válvula no coração. Natural de Cuiabá (MT), a trajetória do artista no mundo da música sertaneja começou ainda quando criança, ao ganhar um violão de presente do avô. Em entrevista a TV Centro América, em 2018, o artista contou que quando recebeu o presente ainda não sabia dividir a voz em primeiro ou segundo tom, mas após uma 'puxada de orelha' do avô, passou a se dedicar cada vez mais e aprender sobre música. Quando mais velho, João passou a cantar em bares e festas universitárias em Cuiabá, mas o reconhecimento nacional veio mais tarde, quando formou dupla com o cantor Hilton Cesar Serafim, o Capataz. Em 2009, a canção “Bruto, Rústico e Sistemático”, composta pela dupla, fez parte da trilha sonora da novela Paraíso, exibida pela Rede Globo. Já em 2011, foi a vez da canção “Xique Bacanizado” fazer parte da trilha sonora de outra novela da emissora, Araguaia. Com músicas como "Faculdade da Pinga", "Descartável", "Eu só Sei te Amar" e "Ói Nóis Traveis", os artistas apresentaram o estilo 'sertanejo bruto', com músicas calcadas no romantismo moderno, marcadas pela voz grave dos cantores e pelo som inconfundível da viola caipira. Capataz presta homenagem ao ex-companheiro de dupla, João Carreiro Reprodução/Instagram A parceria com Capataz foi rompida em 2014, quando Carreiro se afastou dos palcos por problemas de saúde mental. O artista revelou que enfrentava uma depressão e sintomas de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Um ponto comumente observado nas músicas de Carreiro é som do sertanejo mais tradicional, reforçando sempre sobre as raízes do cantor. Já sobre o nome artístico escolhido, João relatou inúmeras vezes se tratar de uma homenagem ao ídolo, o também cantor e instrumentista Tião Carreiro (1934-1993). LEIA TAMBÉM Corpo de João Carreiro é velado em ginásio de Cuiabá; fãs prestam últimas homenagens ao cantor Primeiro empresário de João Carreiro presta homenagem ao cantor e relembra início da carreira: 'muitas histórias juntos' João Carreiro terá velório aberto ao público em Cuiabá Homenagem dos fãs Durante o segundo velório do artista, que foi realizado no Ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá, muitos amigos, familiares e fãs aproveitaram para prestar uma última homenagem ao artista. Muito emocionada, a fã Milena Vivian, de 22 anos, que foi até o ginásio para prestar uma última homenagem ao ídolo, disse que tinha o artista como referência no universo da música sertaneja. "Eu sou apaixonada pela viola caipira por conta dele, foi uma perda gigantesca. Eu trouxe um chapéu porque era o que mais me chamava atenção quando eu via ele, além da risada dele que era única", disse Milena. Fã Milena Vivian, de 22 anos. Sofia Pontes O jovem Mateus dos Santos, de 16 anos, que também foi ao velório de Carreiro, se diz um grande apaixonado pela música sertaneja raiz e levou consigo uma viola como forma de homenagem ao ídolo. Segundo ele, o artista foi uma das principais referências no despertar do interesse pela música. "Estou muito triste, infelizmente nós perdemos uma grande estrela e referência da música raiz. De maneira nenhuma eu viria aqui e deixaria de trazer a viola", disse. Fã Mateus dos Santos, de 16 anos. Sofia Pontes ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1MT no WhatsApp

source https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2024/01/05/joao-carreiro-relembre-a-trajetoria-do-artista-percursor-do-sertanejo-raiz.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem