carnaval de ofertas

Eleições americanas: com DeSantis fora da briga, Trump chega fortalecido às prévias do Partido Republicano nesta terça em New Hampshire


Republicanos do estado de New Hampshire elegerão quem concorrerá contra Joe Biden nas eleições presidenciais do país este ano. Desistência de DeSantis deu mais fôlego a Trump, mas Nikki Haley, única concorrente do ex-presidente, pode surpreender em reduto mais moderado. Trump e então embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley; os dois são pré-candidatos à Presidência dos EUA pelo Partido Republicano AP/Evan Vucci Com um rival a menos, o ex-presidente Donald Trump chega fortalecido à segunda etapa de prévias do Partido Republicano —que ocorrem nesta terça-feira (23) no estado de New Hampshire e podem ser decisivas. ✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp As prévias ocorrem em estados e territórios americanos ao longo do semestre e escolherão o candidato do partido à Presidência dos Estados Unidos nas eleições de novembro. Trump vem de boas notícias: em 15 de janeiro, foi o vencedor com folga das prévias em Iowa, na abertura oficial da corrida eleitoral; no domingo (21), Ron de Santis, governador da Flórida e então rival de Trump como pré-candidato pelos republicanos, anunciou a desistência da disputa —e declarou apoio ao ex-presidente. Assim, Nikki Haley, de perfil mais pragmático e menos conservadora, é a a única concorrente de Trump na indicação dos republicanos. Ex-embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas (ONU), Haley terminou a prévia de Iowa em terceiro lugar, com 19% dos votos. Uma pesquisa encomendada pelo Washington Post divulgada nesta segunda-feira (22) estima que 52% dos eleitores votarão a favor de Trump; Haley tem 34%. A favor de Haley, pode pesar o fato de que os eleitores republicanos de New Hampshire terem perfil mais moderado que os de Iowa, mais conservadores e religiosos. Além disso, as primárias em New Hampshire ocorrem em esquema semiaberto —é só aparecer: eleitores que não estão registrados em nenhum partido podem ir aos locais de votação e votar. Isso costuma ajudar candidatos mais moderados, caso de Nikki Haley. Como será Entenda como funciona o sistema eleitoral dos Estados Unidos Diferentemente de Iowa, as primárias de New Hampshire acontecem de forma direta: os eleitores do partido depositam seus votos diretamente – em Iowa, foram realizados os chamados caucus, o sistema de votação mais antigo ainda em vigor no EUA e na qual os eleitores fazem uma série de debates antes de manifestar seu voto, reunidos em grupos. Nos EUA, o voto é indireto: eleitores escolhem, em votações realizadas por cada estado, representantes dos candidatos que querem eleger. Quem tiver mais representantes, também chamados de delegados, vence a disputa. Em New Hampshire, está em jogo a escolha de 22 delegados, um número na prática pouco significativo diante do total de 1.215 delegados que um pré-candidato republicano precisa angariar para ser o escolhido pelo partido para concorrer à presidência. Mas também pesa o fato de as primárias do estado acontecerem no começo da corrida, aumentando o fator simbólico. Por isso, analistas disseram à imprensa norte-americana achar que, se Trump vencer ali, ele acabará se confirmando como o candidato republicano, já que ficará virtualmente quase impossível de sua concorrente vencer. LEIA MAIS: ENTENDA: como serão as eleições presidenciais nos EUA e veja o calendário da campanha QUEM É RON DESANTIS: governador da Flórida lançou candidatura em entrevista a Elon Musk QUEM É NIKKI HALEY: ex-embaixadora na ONU se torna principal rival de Trump

source https://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2024/noticia/2024/01/23/eleicoes-americanas-com-desantis-fora-da-briga-trump-chega-fortalecido-as-previas-do-partido-republicano-nesta-terca-em-new-hampshire.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem