VÍDEO: Profissão Repórter acompanha perícia das metralhadoras recuperadas de base militar em Barueri, SP


Durante dois meses, o programa acompanhou a investigação o caso na Grande São Paulo. Das 21 armas furtadas, 19 foram recuperadas. Profissão Repórter acompanha perícia das metralhadoras recuperadas de quartel em Barueri Durante dois meses, o Profissão Repórter acompanhou a investigação do furto de 21 armas de uma base militar em Barueri, na Grande São Paulo. Treze delas eram metralhadoras calibre Browning .50 - uma arma de guerra usada pelo Exército Brasileiro capaz de 500 tiros por minuto, com precisão de 1,5 km e que pode abater aeronaves em baixa altitude. Das 21 armas furtadas, 19 foram recuperadas. A Polícia Civil encontrou 9 metralhadoras num lamaçal, no Interior de São Paulo, e a reportagem acompanhou a perícia dos armamentos. Veja no vídeo acima. Segundo o delegado responsável pela investigação, Marcelo Prado, as armas seriam trocadas por cocaína e, eventualmente, levadas para o Paraguai. “As informações que nos levaram a encontrar as armas justamente no local onde havia sido marcado esse encontro são de que essas armas seriam levadas para o Sul do país, provavelmente, Foz do Iguaçu, seriam trocadas pelo que eles chamam de ‘óleo’, mas é pasta base de cocaína. Essa cocaína subiria para o mercado de São Paulo, e as armas, eventualmente, talvez fossem levadas para o Paraguai”. Profissão Repórter acompanha perícia das metralhadoras recuperadas de quartel em Barueri Reprodução/TV Globo O delegado também destaca o perigo dessa munição nas mãos do crime organizado: “Essas armas hoje são objetos de desejo do crime organizado. Não raras às vezes você vê, principalmente, no Rio de Janeiro, nos morros, trocas de tiros com a polícia, os criminosos usando fuzis, que dirá a calibre .50 que são usados não só para eventualmente abater uma aeronave da polícia, mas têm sido usados nesse crime chamado de 'novo cangaço', onde invadem as cidades para roubar bancos e também roubo de carros-fortes. É realmente, um armamento de guerra muito específico que não pode e não deve estar nas mãos de criminosos”, afirma. Profissão Repórter acompanha perícia das metralhadoras recuperadas de quartel em Barueri Reprodução/TV Globo O Exército prendeu por até 15 dias 35 militares que cometeram erros no controle das armas; outros seis militares são investigados pela participação direta no furto do armamento. De crime organizado a feminicídios: como desvios de arma do poder público e o porte ilegal podem terminar em tragédias Profissão Repórter acompanha perícia das metralhadoras recuperadas de quartel em Barueri Reprodução/TV Globo LEIA TAMBÉM: Exército e Polícia do RJ negociaram com facção devolução de 10 das 21 armas furtadas de quartel em SP, diz policial em documento 'É como se estivesse em presídio', diz pai de militar 'aquartelado' após furto de metralhadoras do Exército Veja a íntegra do programa abaixo: Edição de 12/12/2023 Confira as últimas reportagens do Profissão Repórter abaixo:

source https://g1.globo.com/profissao-reporter/noticia/2023/12/13/video-profissao-reporter-acompanha-pericia-das-metralhadoras-recuperadas-de-base-militar-em-barueri-sp.ghtml
Close Menu