carnaval de ofertas

Mulher virá ré por morte de mãe de consideração após golpe financeiro


Renata Barbieri Uliana vai responder por homicídio qualificado. Ela é suspeita de ser mandante da morte da idosa Sheila Macedo da Silva, que morreu no dia 17 de outubro. Mulher é morta a tiros em Jacarepaguá O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, através da 1ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada da Capital, denunciou por homicídio qualificado Renata Barbieri Uliana. Ela é acusada de ser mandante da morte da idosa Sheila Macedo da Silva, que morreu no dia 17 de outubro, vítima de disparos de arma de fogo. Renata era filha de consideração de Sheila. A idosa, de 65 anos, foi morta na frente do condomínio onde morava na Rua Marataia, no Pechincha, Zona Oeste do Rio. O crime teria motivação financeira, já que Renata vinha desviando dinheiro da conta bancária da idosa e tinha a intenção de ocultar as ações, segundo as investigações. Além dos desvios financeiros, foi constatado nas apurações que Sheila havia contraído empréstimo de R$ 50 mil a pedido da ré. Crime premeditado De acordo com as investigações, Renata planejou a morte de Sheila com uma terceira pessoa, que foi quem efetuou os disparos contra a vítima. Imagens de câmeras de segurança mostraram a movimentação suspeita. Os investigadores acreditam que Renata atraiu Sheila para o lado de fora de seu prédio para conversar. A vítima recebeu os tiros assim que se aproximou de um carro branco. Sheila Macedo da Silva Redes sociais No dia, o circuito de segurança do condomínio registrou a movimentação criminosa e o momento que Sheila foi alvejada. Uma das câmeras mostra um carro branco passando pela porta do local pouco mais de 20 minutos antes do crime. O mesmo carro reaparece às 17h56. Sheila aparece nas imagens do lado de fora do condomínio. Ela anda devagar na calçada e se aproxima do carro branco. Alguns segundos depois, diversos disparos são feitos contra ela, que cai no chão. Logo após o crime, Renata foi presa temporariamente pela Polícia Civil e teve sua prisão transformada em preventiva, pelo juízo do Plantão Judiciário, a pedido do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ).

source https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2023/12/23/mulher-vira-re-por-morte-de-mae-de-consideracao-apos-golpe-financeiro.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem