carnaval de ofertas

Com show do Alok, cidade do interior de SP deve 'quadruplicar população' reunindo 20 mil pessoas


A pequena Gavião Peixoto, de 4,7 mil habitantes, contratou o renomado DJ por R$ 450 mil para comemorar o aniversário de 28 anos. Município só tem 4 restaurantes e nenhum hotel. DJ Alok fará show em Gavião Peixoto, cidade de apenas 4,7 mil habitantes na quarta-feira (27) Filipe Miranda/Divulgação Com 4.702 habitantes, Gavião Peixoto, município da região central do estado de São Paulo, deve ver sua população 'quadruplicar' na próxima quarta-feira (27), quando irá receber o DJ Alok para um show gratuito para 20 mil pessoas. A atração foi contratada pela prefeitura em comemoração aos 28 anos do município por R$ 450 mil. Em 2021, o DJ foi considerado o 4º melhor do mundo. A festa vai até sexta-feira (29) e também terá a cantora Yasmin Santos e a dupla sertaneja Ícaro e Gilmar, contratados com cachês de R$ 172 mil e R$ 280 mil, respectivamente. 📲 Participe do canal do g1 São Carlos e Araraquara no WhatsApp O município, que organiza o evento há 4 meses, só tem 4 restaurantes e nenhum hotel ou pousada, o que deve 'bombar' a economia de cidades vizinhas como Matão e Araraquara. O g1 foi até a cidade ouvir a expectativa da população sobre o evento e entender como será a organização. (veja mais abaixo). Projeção da cidade Veja imagens de Gavião Peixoto (SP) O anúncio do show causou comoção na região. Os cinco lotes de ingressos, distribuídos pela internet, esgotaram-se em poucas horas. A prefeitura soltou então um lote extra de mil ingressos para serem retirados pessoalmente pela população da cidade. É o maior show realizado na cidade até hoje. Até então, o grupo Raça Negra havia reunido um público de 14 mil pessoas, em julho deste ano. A ideia de trazer o DJ na cidade começou há um ano em conversas com o empresário do artista. O show foi anunciado no final de outubro. Igreja Matriz de Gavião Peixoto Fabiana Assis/g1 O prefeito Adriano Marçal (PTB) diz que o show já tem repercutido e projetado a cidade entre possíveis investidores. "Foi a propaganda mais barata que eu já fiz até hoje", brincou. Mas o gestor se diz surpreso com toda a repercussão que o show tem causado. "Eu não esperava. Tira um pouco do sono, a gente fica preocupado, mas a expectativa e o planejamento são para que seja um sucesso. Com todos os resultados que a cidade tem alcançado, tem ganhado o respeito nacional e agora, com esse show, está sendo conhecida também internacionalmente", afirmou. Segurança e estrutura Estrutura para show do DJ Alok começa a ser montada em Gavião Peixoto Fabiana Assis/g1 O policiamento na cidade, que tem apenas quatro policiais militares, será reforçado com um efetivo de mais 50 PMs no dia do show. Eles atuarão por meio de atividade delegada (convênio que permite que os policiais trabalhem na segurança pública nos dias de folga), além de uma equipe de 150 pessoas contratadas pela prefeitura para atuar como seguranças particulares, brigada de incêndio e na orientação do público. Com 'barulho' causado após o anúncio do DJ, a Polícia Militar e o Ministério Público fizessem algumas exigências para a realização do show, entre elas a distribuição antecipada dos ingressos, vinculados ao nome e CPF, e a proibição de menores desacompanhados. Haverá também mudanças na direção de trânsito de algumas ruas para que a cidade possa comportar a quantidade de carros. O local do show será em um terreno fora do perímetro urbano, onde futuramente a prefeitura pretende instalar um distrito industrial e de frente para um dos muitos canaviais que circundam a cidade. A área será isolada e somente as pessoas com ingresso poderão entrar. Haverá monitoramento por oito câmeras. Show gratuito de Alok será realizado nos arredores de Gavião Peixoto Reprodução Google Maps Outra preocupação é com o acesso à cidade, que é feito por duas estradas, ambas de pista simples. “Viaturas vão ser colocadas no entorno da cidade e nos acessos, a fim de fazer fiscalização de trânsito e de alcoolemia com etilômetro, tanto na entrada como na saída do show e, contando com o apoio do policiamento rodoviário, porque a gente pensa que haverá um deslocamento muito grande nas rodovias”, afirmou o comandante da 1ª Cia de Araraquara, capitão da PM Emerson Vieira Coelho. Custos da festa Gavião Peixoto faz show com Alok no aniversário da cidade Fabiana Assis/g1 O jovem município de Gavião Peixoto passou a ficar conhecido após a instalação de uma unidade da Embraer, em 2001. Antes da chegada da empresa, a economia era totalmente agrícola, baseada em fazendas de cana e laranja. Com um PIB de R$ 1.184.185,051, o antigo distrito de Araraquara tem um orçamento de R$ 65 milhões em 2023. Em 2021, a cidade teve o maior PIB per capita entre 42 municípios da área de cobertura do g1 São Carlos e Araraquara: R$ 244.615,79. Neste ano, somente as principais atrações musicais da festa de aniversário somam R$ 872 mil, dos quais R$ 450 mil são referentes ao cachê do Alok. O g1 questionou a prefeitura sobre a soma de custos de montagem do espaço, acomodação das equipes das atrações e esquema de segurança e logística, mas não teve retorno até a última atualização da reportagem. O Ministério Público disse que já orientou o município sobre como proceder nessas contratações de artistas para evitar dano ao erário. A cidade de Gavião Peixoto Acervo EP 'Situação diferenciada' Segundo o prefeito, a situação da prefeitura permite que esses gastos sejam feitos e a cidade tem tradição de promover grandes shows no final do ano, que coincide com a festa de aniversário da cidade e no "Julinão", realizado em junho. No aniversário de 27 anos, em dezembro passado, a prefeitura contratou a dupla Bruno e Marrone por R$ 563 mil. No Julinão deste ano, a atração foi Raça Negra, que recebeu R$ 368 mil pelo show. “A nossa questão orçamentária é diferente das outras cidades. A responsabilidade de todos os gestores nestes 28 anos faz com que as contas estejam em ordem, nós não temos precatórios para serem pagos e temos uma reserva de contingência. Então conseguimos investir em cultura e esporte e acho isso interessante por estarmos em um período pós-pandemia, em que ficamos um longo período dentro de casa”, afirmou. Área de lazer de Gavião Peixoto Fabiana Assis/g1 De acordo com Marçal, a prefeitura gasta 32% do seu orçamento com educação, enquanto o exigido é 25%. A verba para a saúde corresponde a 22,37% do orçamento, 7,37 pontos percentuais a mais que o obrigatório. Por outro lado, a prefeitura gasta apenas 29% do seu orçamento com folha de pagamento, sendo que poderia gastar até 54%. O município está em primeiro lugar no ranking nacional e estadual do Índice Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) de Desenvolvimento Municipal, com nota máxima três indicadores: emprego/renda, educação e saúde. Ganhou prêmio de melhor cidade com nível de Desenvolvimento Socioeconômico e Ordem Pública no Estado de São Paulo, no prêmio Cidades Excelentes – Aquila e ficou em segundo lugar no nível Nacional, entre os municípios com até 30 mil habitantes de todo o Brasil, com índice de 96,97, apenas 0,23 pontos atrás da vencedora Treviso (SC). Entre os moradores ouvidos pelo g1, não houve reclamações sobre os serviços prestados pela administração municipal (veja mais abaixo). A única preocupação da população é a falta de oportunidades de emprego, o que faz com que muitos trabalhem em Araraquara, cidade distante 35 quilômetros. População gostou do show, mas multidão preocupa Na cidade, o estilo de música que se ouve dentro dos carros que circulam pela rua é o sertanejo, assim como os últimos shows realizados na cidade que já recebeu, como Bruno e Marrone, Gian e Giovani e Gustavo Mioto. A mudança radical de estilo, no entanto, não está incomodando a população que está animada com uma atração de renome internacional tocando em sua cidade. Lucilene Pereira está ansiosa para o show de Alok em Gavião Peixoto Fabiana Assis/g1 “Vixe, a gente não vê a hora, estou contando os minutos”, disse ao g1 a trabalhadora rural Lucilene Pereira, de 36 anos. “Vou eu e minha família, minhas irmãs, meus irmãos, meus primos.Toda Gavião vai baixar lá. Tem gente vindo já tudo pousar aqui já para ficar, vindo parente de fora.” Ela não estranhou ter um show tão grande na cidade e disse que é uma tradição ter um grande show no final do ano. “Eu moro 30 anos aqui. Sempre foi assim.” A excitação, porém não tira a preocupação da população com tanta gente ao mesmo tempo na cidade. “Eu acho legal, um artista conhecido, famoso, porém, acho que vai tumultuar bastante a cidade por ser pequena. Os moradores ficam preocupados com tanta gente aqui. O evento por ser muito grande e a cidade por ser pequena pode não suportar o tanto de gente que vai vir. A gente tem medo de roubo, briga, fica até receoso de ir para o local”, afirmou a técnica em enfermagem Dienifer da Silva, 25 anos. Ela garantiu o ingresso no primeiro lote, que esgotou em uma hora - o namorado, que mora em outra cidade, conseguiu no segundo lote – e não reclama do valor gasto para trazer o DJ, embora ache que a atração só agrada a população mais jovem. “Minha mãe mesmo não conhece, meus tios também nunca ouviram falar. É um estilo de música diferente, mas acho para a população jovem vai ser bem legal. A cidade está boa no desenvolvimento, tanto na educação como na saúde sempre pode melhorar mais, né? Mas assim comparação às outras aqui é bem melhor mais fácil. Na questão de remédio caro, eles fornecem, tem transporte de graça para Araraquara se precisar, também tem transporte escolar para as crianças, deixa pertinho de casa”, contou. Rosenaldo Paulo Souza acha que recursos usados para pagar show de Alok em Gavião Peixoto deveriam ser destinados a outras áreas Fabiana Assis/g1 O morador Rosenaldo Paulo Souza, de 49 anos, tem a mesma opinião. “É bom para juventude que é chegada, que gosta dessas coisas, mas o resto vai fazer o quê? É um show muito bom, mas para a classe da juventude, porque é música eletrônica, para nossa idade é mais um sertanejo”, comentou. Ele também está preocupado com a multidão e pensa que o dinheiro do show poderia ser gasto em outro setor. “Precisa de muito policiamento. Vai ter mais de gente de fora do que da cidade. Preocupa por causa da estrutura e por causa de segurança, na hora de ir embora, o que vai ter de gente bêbada nessa pista. A saúde não tem o que reclamar, não, a assistência social, tá bem. Mas precisa investir na área de emprego, trazer indústria. Só quer investir em show, em praça em esporte. Por que uma cidade dessa precisa ter seis mini campo para as crianças brincarem?”, questionou. Ana Luiza Santos Martins é fã do DJ Alok, mas se preocupa com o que o show dele pode causar à cidade de Gavião Peixoto Fabiana Assis/g1 Fã de Alok, Ana Luiza Santos Martins, 33 anos, não acreditou que o DJ tocaria na sua cidade. "Você tem noção que o ingresso era R$ 500, pegamos ônibus para assistir ele, ficamos na chuva e agora ele veio na minha cidade de graça, tipo todo mundo vai”, disse entre risos. Ela não vai ao show, mas permitiu que sua filha de 16 anos fosse, mesmo que o tumulto cause preocupação. “Fico preocupada porque vai vir muita gente fora e eu acho que a cidade não suporta tudo isso. Alok é DJ de rave, festas grandes, onde ocorrem muitas coisas e não cabe de menor, aí vai fazer um showzinho aqui na praça?", disse. Ana Luiza acredita que após toda a repercussão do show a população vai ficar atenta com a administração. “Aqui é cidade de primeiro mundo, mas agora tem que ter tudo e não pode faltar nada, porque se tem condição de pagar meio milhão [de reais] para o cara vir tocar, não pode deixar faltar nada em todas as áreas", afirmou. Veja mais notícias da região no g1 São Carlos e Araraquara

source https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2023/12/26/com-show-do-alok-cidade-do-interior-de-sp-deve-quadruplicar-populacao-reunindo-20-mil-pessoas.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem