carnaval de ofertas

O que se sabe sobre PMs presos suspeitos de sequestrar jovem desaparecido há quase 4 meses


Jovem Filipe Coelho Siqueira desapareceu no dia 1º de agosto quando foi obrigado a entrar em carro. Dois militares são investigados por suposto envolvimento no crime. Soldados Ismael Nascimento e Felipe Augusto Lovato foram presos nesta quinta-feira (16) Divulgação O jovem Filipe Coelho Siqueira, de 21 anos, está desaparecido há quase quatro meses após ser sequestrado no meio de uma rua em Paraíso do Tocantins, na região central do estado, e obrigado a entrar em um carro. Dois policiais militares foram presos nesta quinta-feira (16) suspeitos de envolvimento com o sumiço dele. Veja abaixo o que se sabe sobre o caso: Quem é Filipe Coelho Siqueira Felipe Coelho está desaparecido há mais de um mês Arquivo Pessoal Felipe Coelho trabalhava como ajudante de pedreiro durante o dia e estudava o último ano do ensino fundamental no período noturno. No momento em que desapareceu, ele estaria voltando do serviço para almoçar. Segundo a família, ele não tem nenhuma passagem criminal, mas constantemente era abordado pela polícia. "Dava baculejo [revista pessoal], procurava se meu irmão estava com alguma droga, se tinha alguma coisa errada. Tirava foto do meu irmão, que às vezes ele estava sem documento, para saber se tinha passagem ou alguma coisa. Via que não tinha passagem e liberava meu irmão", contou o irmão dele, Alef Siqueira. Como foi o desaparecimento? Vídeo mostra momento em que jovem teria sido colocado dentro de carro Na manhã do dia 1º de agosto de 2023, por volta das 11h, o jovem estava voltando para casa pela Avenida Campinas, no setor Jardim Paulista, quando foi abordado por dois homens. Ele passou por uma revista e depois foi obrigado a entrar em um carro. "A gente decidiu pegar foto dele, fazer um anúncio e postar nos grupos para ver se alguém sabia. Na quarta à noite, devido à postagem rodar nos grupos, teve uma pessoa que me ligou perguntando se meu irmão tinha aparecido. Eu falei: não, ele não apareceu ainda. Ele disse, pois é eu vi teu irmão sendo abordado por duas pessoas e quem pegou teu irmão foram policiais", contou o irmão na época. Para onde Filipe foi levado A Polícia Civil ainda não conseguiu descobrir o paradeiro do jovem. O que se sabe é que o carro partiu em direção à zona rural da cidade. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o veículo retornou para a zona urbana cerca de 30 minutos depois e às 14h36 voltou para o local inicial (onde a vítima foi abordada). Nesse momento, apenas os policiais suspeitos desceram do carro. A polícia chegou a usar drones com câmeras termais, mas não conseguiu localizar nenhum local onde Filipe tenha sido deixado. LEIA MAIS VÍDEO: Estudante desaparece e família acredita que ele foi levado por policiais à paisana em carro PMs suspeitos de sequestro também são investigados por forjar flagrantes de tráfico e tortura, diz SSP Dois PMs são presos suspeitos de sequestrar jovem que está desaparecido há quatro meses Carro que teria sido usado para sequestrar Filipe Reprodução Policiais foram presos suspeitos do sequestro Na manhã desta quinta-feira (16) dois policiais militares foram presos preventivamente suspeitos de sequestrar o jovem. Eles foram identificados como Felipe Augusto Lovato da Rocha e Ismael Nascimento da Conceição. Os dois soldados estão na PM desde março de 2022 e têm salários de quase R$ 7 mil, cada um. Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos nos endereços dos PMs, em Palmas e Paraíso do Tocantins. A operação foi chamada de Missing. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), um dos PMs morava em frente ao local do sequestro e o outro era dono do veículo. PMs também são investigados por tortura Segundo SSP, ao longo do minucioso trabalho executado pela Polícia Civil descobriu-se que os investigados estariam envolvidos em outras condutas criminosas, utilizando-se da condição de policial como justificativa. Foi apurado que eles supostamente ofereciam dinheiro a usuários de droga viciados em crack para que adquirissem drogas em “bocas-de-fumo”. Em seguida, à paisana e utilizando carro particular, executarem buscas clandestinas nestes locais do tráfico, onde apreendiam drogas e valores. Conforme a investigação, por vezes o material apreendido não era apresentado na delegacia e eles sequer efetuavam a prisão do traficante. Ainda foram constatadas evidências apontando envolvimento dos investigados em casos de tortura. Família quer saber o que aconteceu com o jovem Após a prisão dos militares, agora a família de Filipe quer saber o paradeiro dele. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) ainda não se sabe onde ele está, seja vivo ou morto. “Para eles não vai ser bom, porque a gente não deseja coisa assim para os outros. Mas pelo menos deva pagar o que eles fizeram com meu neto. O que está me martelando mais, me emocionando mais é como que eu vou encontrar meu neto. Não sei se vou encontrar com vida, se é só um cadáver. É o que mais está me maltratando, o que mais está me doendo”, disse a avó do jovem, Eva Reis, ao saber do andamento do caso. Eva Reis que saber onde está o neto TV Anhanguera/Reprodução O que diz a Polícia Militar e a defesa dos policiais O advogado da Associação dos Praças Militares do Tocantins, Paulo Roberto, informou, por telefone, que ainda não teve acesso à investigação, mas vai se posicionar nos próximos dias. A Polícia Militar do Tocantins disse que acompanhou o cumprimento de mandados de prisão preventiva e busca e apreensão em desfavor de dois policiais militares. Também afirmou que o caso está sendo investigado pela Corregedoria e afirmou compromisso com a legalidade e imparcialidade. Após os procedimentos judiciários, os militares foram recolhidos na unidade da Polícia Militar em Palmas, os quais ficarão à disposição para os procedimentos cabíveis. 📱 Participe da comunidade do g1 TO no WhatsApp e receba as notícias no celular. Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

source https://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/2023/11/17/o-que-se-sabe-sobre-pms-presos-suspeitos-de-sequestrar-jovem-desaparecido-ha-quase-4-meses.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem