carnaval de ofertas

Guga Chacra: pressões 'externas' e 'internas' levaram Israel a ceder acordo com Hamas para a libertação de reféns


Nesta quarta-feira (22), pelo horário local — noite de terça-feira (21), no Brasil, o governo de Israel aprovou um acordo que prevê a liberação de 50 reféns capturados pelo Hamas no ataque de 7 de outubro, em troca da liberação. Guga Chacra destaca pressões 'externas' e 'internas' que levaram Israel a ceder acordo com Hamas para a libertação de reféns Reprodução/TV Globo Nesta quarta-feira (22), pelo horário local — noite de terça-feira (21), no Brasil, o governo de Israel aprovou um acordo que prevê a liberação de 50 reféns capturados pelo Hamas no ataque de 7 de outubro, em troca da liberação, por parte de Israel, de 150 palestinos que estão em prisões israelenses. Para Guga Chacra, Israel foi quem precisou ceder mais para que esse acordo acontecesse. O comentarista destacou no Jornal da Globo os fatores "externos" e internos" que influenciaram na decisão do governo israelense. "Provavelmente, Israel teve que ceder mais do que o Hamas, neste momento. Havia a pressão externa dos Estados Unidos, também de outros países próximos de Israel, como a França e o Reino Unido, países que Israel estabeleceu relações. E uma questão interna muito grande dos familiares das vítimas e de boa parte da sociedade israelense que quer a libertação dos reféns", analisou Guga. No entanto, Guga Chacra pontua que o primeiro-ministro de Israel também enfrentou certa resistência por integrantes de partidos de extrema direita que eram contra o acordo. "Por outro lado, houve uma resistência contrária ao acordo, dos integrantes dos partidos de extrema-direita, da colisão de governo dele, mas, no final, ele acabou concordando", ressaltou o comentarista. O Acordo O acordo prevê um cessar-fogo de pelo menos quatro dias, começando, segundo Tel Aviv, no momento em que a primeira criança mantida refém cruzar a fronteira de volta a Israel. O Hamas devolve 50 reféns - todos mulheres ou crianças - num ritmo de 10 a 12 por dia, o que garante pelo menos quatro dias de cessar-fogo. A liberação deve começar nesta quinta-feira (23). O Hamas sequestrou pelo menos 240 pessoas. Em troca, Israel libera 150 prisioneiros palestinos. E permite a entrada de trezentos caminhões por dia com combustível, remédios e alimentos em Gaza. Esse acordo é resultado de uma forte pressão internacional e também dos Estados Unidos. Benjamin Netanyahu disse que essa foi uma "decisão difícil."

source https://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2023/11/22/guga-chacra-pressoes-externas-e-internas-teriam-levado-israel-a-ceder-acordo-com-hamas-para-a-libertacao-de-refens.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem