carnaval de ofertas

Com samba-enredo sobre povos originários, Dudu Nobre fala de diversidade e união: 'colocando o dedo na ferida'


Em noite de show na Feira das Nações, Dudu Nobre elogia a diversidade do evento e fala sobre a luta dos povos originários, tema do samba-enredo que compôs para o Salgueiro. Dudu Nobre durante show na Feira das Nações de Santa Bárbara Leandro Ferreira/g1 “A música tem o poder de promover a união, desde que as pessoas também tenham esse interesse”. Com essas palavras, Dudu Nobre recebeu o g1 na noite desta sexta-feira (10) poucos minutos antes do show na 31ª Feira das Nações de Santa Bárbara d'Oeste, evento que acontece até domingo (12) no Complexo da Usina. Confira a programação completa da Feira das Nações FOTOS: veja imagens da primeira noite do evento Dudu comentou sobre a temática do samba-enredo que compôs para a Acadêmicos do Salgueiro para o Carnaval de 2024, que fala sobre povos originários da Amazônia. Ele revelou estar contente com a música e ressaltou a importância do tema. "Fala justamente da luta dos povos originários. É um enredo muito forte que para a gente é muito importante. Está indo para fora da bolha do samba-enredo justamente por estar tocando em uma temática importantíssima, a questão da Amazônia e dos povos originários, a questão dos garimpos, da exploração da Amazônia. Então nesse samba a gente foi colocando o dedo na ferida”, comenta. O artista também falou sobre união entre os povos e diversidade - e elogiou a proposta da Feira das Nações, que também reverencia várias culturas, com apresentações de vários estilos. Dudu Nobre durante entrevista ao g1 nos bastidores da Feira das Nações de Santa Bárbara Leandro Ferreira/g1 “Eu cresci em um ambiente com muita diversidade. Pluralidade é importante porque fortalece a questão das pessoas estarem em contato com outras culturas, outros países, outros continentes”, afirmou. Guerra no Oriente Médio O cantor também comentou durante a entrevista sobre o conflito no Oriente Médio: "O que está acontecendo hoje no Oriente Médio é uma situação que vem de muito tempo. A luta pela terra, pelo espaço. É bem complexo”, comenta. Ele também contou que, em uma época que esteve em turnê pela França, viu pela primeira vez conflito entre um judeu e um palestino. Dudu Nobre durante show na Feira das Nações de Santa Bárbara Leandro Ferreira/g1 O show Nos arredores do Complexo da Usina, já era possível observar o movimento dos fãs do sambista horas antes da apresentação de Dudu Nobre começar. Em entrevista ao g1, Eraldo Vaz, radialista, afirmou que a expectativa era grande para um show extrovertido e animado, como é característica do músico. A respeito da obra do artista, Eraldo elogiou algumas das canções que marcaram a trajetória do sambista. “A imprensa do ECAD [Escritório Central de Arrecadação e Distribuição] listou as cem melhores músicas do Dudu. ‘Gosto que Me Enrosco’, ‘Deixa a Vida me Levar’, ‘Singelo Menestrel’ (um clássico que eu toco sempre na rádio). Tem várias muitas fantásticas que se a gente for listar, passa mais de cem”, afirma. Público durante show do Dudu Nobre na Feira das Nações de Santa Bárbara Leandro Ferreira/g1 Por volta das 22h, Dudu Nobre começou a apresentação no Palco Nações, o principal do evento. “A Grande Família” foi a primeira canção da noite, animando todos os presentes com o clássico que embalou a trilha sonora da história Lineu. Outras canções muito populares do artista foram abraçadas com entusiasmo durante a noite, como “Vou Botar Teu Nome na Macumba” e “No Mexe Mexe, No Bole Bole”. Dudu Nobre durante show na Feira das Nações de Santa Bárbara Leandro Ferreira/g1 VÍDEOS: Tudo sobre Piracicaba e região Veja mais notícias da região no g1 Piracicaba

source https://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/feira-das-nacoes-santa-barbara-doeste/noticia/2023/11/11/com-samba-enredo-sobre-povos-originarios-dudu-nobre-fala-de-diversidade-e-uniao-colocando-o-dedo-na-ferida.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem