carnaval de ofertas

Proposta de aplicativo prevê cadastro de pessoa de confiança para bloquear celular furtado ou perdido, diz Dino


Ministério da Justiça discute criação de ferramenta para agilizar bloqueio de aparelhos e aplicativos de bancos, para evitar transferência eletrônica por bandidos. Aplicativo para agilizar bloqueio de celulares furtados, roubados ou perdidos, é estudado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Katerina Holmes/Pexels O aplicativo para agilizar o bloqueio de celulares furtados, roubados ou perdidos, em estudo no Ministério da Justiça e Segurança Pública, deve permitir ao usuário o cadastro de uma pessoa de confiança que teria autorização para desativar o aparelho no lugar dela, caso isso seja necessário. A informação é do ministro da Justiça Flávio Dino. De acordo com ele, o bloqueio seria feito pelo aplicativo instalado no celular dessa pessoa de confiança, pelo telefone de um terceiro, ou então por meio de um computador. Para garantir segurança à operação, seria exigida autenticação por meio da plataforma gov.br. Além do ministério, a discussão sobre o aplicativo envolve a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), operadoras de telefonia e até mesmo empresas como Google e Meta. Dino informou que a previsão é que a plataforma entre em funcionamento em novembro. Comando único O ministro da Justiça informou ainda que, pela proposta, o aplicativo contaria com um comando único que, ao ser pressionado comunicaria: A Anatel e as operadoras, que fariam o bloqueio do celular, e assim impediriam que o aparelho seja usado para ligações ou acesse a rede móvel; A Febraban e os bancos, que suspenderiam o acesso às contas do usuário por meio de internet, o que dificultaria transferências via PIX, por exemplo, e reduziria as chances de prejuízos financeiros à vítima; O Ministério da Justiça que informaria à polícia local sobre o crime. Atualmente, já é possível bloquear o celular através de contato com a operadora ou, em alguns estados, ao registrar boletim de ocorrência. O bloqueio desativa a linha e impede que o aparelho acesse as redes de telefonia celular no país. A Anatel informou que espera que o aplicativo desenvolvido pelo ministério torne o bloqueio de celulares “mais acessível e simples a toda a população”. De acordo com a Anatel, desde 2020 cerca de 3,2 milhões de aparelhos celulares foram bloqueados no país.

source https://g1.globo.com/politica/noticia/2023/10/19/proposta-de-aplicativo-preve-cadastro-de-pessoa-de-confianca-para-bloquear-celular-furtado-ou-perdido-diz-dino.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem