carnaval de ofertas

Motoristas de caminhão reclamam de cobrança por eixo suspenso em pedágios na região de Ribeirão


Medida é válida para veículos com eixos suspensos ou não e passou a valer na segunda-feira (23). Quatro praças serão afetadas. Motoristas de caminhão reclamam de cobrança de tarifa de pedágio por eixo suspenso Motoristas de caminhões que trafegam regularmente pelas rodovias da região de Ribeirão Preto (SP) reclamam da cobrança de pedágio por totalidade de eixos, que entrou em vigor na segunda-feira (23). A medida foi anunciada pela Entrevias, concessionária que administra quatro praças em Sertãozinho (SP), Pitangueiras (SP), Sales Oliveira (SP) e Ituverava (SP). Todas elas passam a cobrar por eixo suspenso ou não. (veja mais abaixo) Receba no WhatsApp notícias da região de Ribeirão e Franca Wilson Jesus Vieira conta que levanta o eixo do caminhão quando ele está vazio. Segundo o motorista, sempre foi uma forma de economizar pneu. "Não tem lógica [a cobrança por totalidade de eixo]. Nós não estamos usando a rodovia. Pagamos tão caro e agora, com o eixo erguido, querem cobrar também?" De acordo com medida, se caminhão não tem carga visível e não tem manifesto em aberto, será cobrado somente os eixos em solo Ronaldo Gomes/EPTV Donato Cicone, também motorista, está indignado. "Acho errado, porque já ergue o eixo. Não é pra cobrar, não está gastando asfalto, nada. Já teve aumento do diesel, agora isso aí de erguer o eixo. Não vai dar pra trabalhar mais". Cobrança da tarifa de pedágio na região de Ribeirão Preto (SP) vai ser feita para caminhões com eixos suspensos ou não. Ronaldo Gomes/EPTV Cledison de Melo se preocupa com a possibilidade de cobrança, inclusive, quando o veículo estiver sem carga. "A gente trabalha com nove eixos. Às vezes, a gente sai com 12 mil quilos e tem que levantar o eixo. Se não levantar, se você freia, ele raspa [no asfalto], o caminhão leve, então tem que levantar. O pedágio cobra, mas ele não está rodando, não tem porque cobrar". Medida que vai cobrar por totalidade de eixo no pedágio entrou em vigor na segunda-feira (23) na região de Ribeirão Preto, SP Ronaldo Gomes/EPTV Cobrança é feita para caminhões com eixo ou não De acordo com a medida, rodando ou suspenso, todo eixo de caminhão entra na cobrança do pedágio na região de Ribeirão Preto a partir de agora. A mudança vai mexer com a rotina das transportadoras. Isso porque as empresas precisam informar corretamente o conteúdo da carga (como origem, para onde vai e o tipo de produto) por meio de um documento chamado de manifesto. Quando o caminhão chegar no destino, tem de encerrar esse documento fiscal, para evitar cobranças nos pedágios seguintes. Antônio Dias Tavares, conta que, muitas vezes, descarrega mercadoria de madrugada e teme não conseguir dar baixa no manifesto e precisar pagar a tarifa mais de uma vez. "Acabo descarregando à noite e aí a transportadora só funciona em horário comercial e não tem como dar baixa. Se você tiver de se deslocar para outro local, você acaba pagando pelo eixo suspenso". Veja abaixo as praças afetadas na região de Ribeirão Preto: Rodovia Atílio Balbo: km 327, em Sertãozinho Rodovia Armando de Sales de Oliveira: km 361, em Pitangueiras Rodovia Anhanguera: km 361, em Sales Oliveira, e km 405, em Ituverava Na região de Ribeirão Preto (SP), quatro praças de pedágio passam a cobrar por totalidade de eixo Ronaldo Gomes/EPTV Como vai funcionar? Se o caminhão tem carga visível: será cobrado pela totalidade dos eixos do veículo, suspensos ou não. Se o caminhão não tem carga visível, mas tem manifesto (documento referente à carga) em aberto: será cobrado pela totalidade dos eixos do veículo. Se o caminhão não tem carga visível e não tem manifesto em aberto: será cobrado somente os eixos em solo. Se o caminhão tiver com a carga exposta e for possível ver que está vazio: será cobrado somente os eixos em solo. Segundo a concessionária, a verificação vai ser feita pelas placas do veículo, por meio das câmeras de monitoramento que estão nas praças do pedágio. O sistema é integrado à plataforma da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, que identifica se há manifesto eletrônico de documentos fiscais aberto e define o valor da tarifa a ser cobrado. Câmeras de monitoramento nos pedágios são integradas a plataforma que identifica se há manifesto eletrônico aberto e define o valor da tarifa a ser cobrado Ronaldo Gomes/EPTV Veja mais notícias da região no g1 Ribeirão e Franca Vídeos: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

source https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2023/10/24/motoristas-de-caminhao-reclamam-de-cobranca-por-eixo-suspenso-em-pedagios-na-regiao-de-ribeirao.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem