Israel x Hamas: Itamaraty tenta negociar resgate de brasileiros na Faixa de Gaza no 6º dia de conflito

Logística para repatriar 28 brasileiros já está pronta, mas governo depende da autorização do Egito para iniciar retirada. Nesta quinta-feira (12), o Itamaraty ainda tenta negociar o resgate de brasileiros presos na Faixa de Gaza. Segundo o embaixador do Brasil na Palestina, Alessandro Candeas, 28 pessoas, incluindo 15 crianças, manifestaram vontade de voltar para o Brasil — inicialmente, 30 brasileiros solicitaram ajuda, mas duas desistiram. Desde sábado (7), o estado de Israel e o grupo terrorista Hamas trocam ataques. Até a última atualização desta reportagem, mais de 2,3 mil pessoas haviam morrido desde o início do conflito. Acompanhe a cobertura completa da guerra no canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp; entre aqui. O governo do Brasil planejava utilizar a passagem da Faixa de Gaza em Rafah, na fronteira com o Egito, para retirar as pessoas da área. No entanto, de acordo com a AFP, entre segunda-feira (9) e terça-feira (10), Israel bombardeou a passagem pelo menos três vezes — ainda não se sabe a proporção dos danos que os ataques causaram. Desde antes do início do conflito, a passagem de Rafah é fortemente controlada pelos governos do Egito e de Israel. Na segunda-feira (9), no entanto, este monitoramento aumentou, pois os iraelenses decretaram um "bloqueio total" da Faixa de Gaza, proibindo a travessia de pessoas e a entrada de suprimentos, energia elétrica e combustível. Além disso, o presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, disse na terça-feira (10) que o país não permitiria que conflito fosse resolvido "às custas de outros". Esta foi uma aparente referência ao risco de que parte dos 2,3 milhões de residentes de Gaza tentem fugir para o Egito. Na segunda-feira (9), cerca de 800 pessoas deixaram Gaza por Rafah e cerca de 500 pessoas entraram, embora a passagem estivesse fechada para a circulação de mercadorias, afirmou o escritório humanitário das Nações Unidas. Por isso, o Brasil aguarda a autorização do Egito para tentar repatriar 28 brasileiros que estão na Faixa de Gaza. Toda a logística para o resgate já está pronta, afirmou o Itamaraty. Brasileiros abrigados em escolas Candeas também informou que parte dos brasileiros na Faixa de Gaza vai ser abrigada em uma escola católica da região nesta quinta-feira (12). Parte das pessoas optaram por ficar em casa até que o governo conclua as negociações para trazer todo o grupo de volta ao Brasil. O embaixador afirmou que o governo brasileiro comunicou a Israel que as pessoas serão abrigadas na escola, para evitar que o local seja alvo de bombardeios. "A fim de reuni-los e protegê-los, estamos hospedando 13 integrantes do grupo de brasileiros em uma escola católica: Sister Rosary School. Os restantes 15 preferiram aguardar em suas casas. Informaremos Israel deste fato, a fim que que o local não seja bombardeado", relatou Candeas. LEIA TAMBÉM TEMPO REAL: Veja as últimas notícias sobre o conflito em Israel BUNKERS EM ISRAEL: Como são os cerca de 1,5 milhão de abrigos no país Israel forma governo emergencial O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o líder da oposição, Benny Gantz, anunciaram na quarta-feira (11) um governo de coalizão emergencial para liderar o país durante o conflito com o Hamas. Yair Lapid, outro forte opositor do premiê israelense, fará parte de um gabinete de guerra. O que aconteceu até agora? ▶️ Como foi o ataque? As ações se concentraram perto da fronteira da Faixa Gaza, de onde Hamas lançou 5 mil foguetes. Por terra, ar e mar, com motos e parapentes, homens armados invadiram o território israelense pelo sul do país. Houve relatos de que os invasores atiraram em pessoas que estavam nas ruas e sequestraram dezenas de israelenses (incluindo mulheres e crianças), levados como reféns para Gaza. ▶️ Como foi a resposta de Israel? Diante da ofensiva do Hamas, o governo israelense iniciou uma retaliação e bloqueou as fronteiras da Faixa de Gaza, impedindo a entrada de alimentos, eletricidade, água e combustível. "Estamos em guerra e vamos ganhar", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, logo após o ataque. "O nosso inimigo pagará um preço que nunca conheceu." Ainda em 7 de outubro, Israel lançou bombas em direção à Faixa de Gaza. O ministro da Defesa, Yoav Gallant, declarou na segunda-feira (9) que Gaza “não receberia eletricidade, nem alimentos, nem água, nem combustível”. As fronteiras da Faixa de Gaza foram bloqueadas. ▶️ Quantas pessoas morreram? O balanço mais recente das autoridades locais indicava, na manhã de quarta-feira, que mais de 2.300 pessoas morreram. A ONU estima que mais de 338 mil pessoas foram deslocadas em Gaza desde sábado (7). ▶️ O que é e onde fica Faixa de Gaza? É o território palestino localizado em um estreito pedaço de terra na costa oeste de Israel, na fronteira com o Egito. Marcado por pobreza e superpopulação, tem 2 milhões de habitantes morando em um território de 360 km². Para se ter uma ideia desse tamanho em comparação com cidades brasileiras, o território é um pouco maior que o da cidade de Fortaleza (312,4 km²) e menor que o de Curitiba (434,8 km²). Tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967, e entregue aos palestinos em 2005, Gaza vive um bloqueio de bens e serviços imposto por seus vizinhos de fronteira. ▶️ Qual é o histórico do conflito na região? A disputa entre Israel e Palestina se estende há décadas e já resultou em inúmeros enfrentamentos armados e mortes. Em sua forma moderna, remonta a 1947, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs a criação de dois Estados, um judeu e um árabe, na Palestina, sob mandato britânico. G1 Explica: o conflito violento entre Israel e Palestina que dura mais de 70 anos

source https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/10/12/israel-x-hamas-itamaraty-tenta-negociar-resgate-de-brasileiros-na-faixa-de-gaza-no-6o-dia-de-conflito.ghtml
Close Menu