Imóveis em prédios tortos no litoral de SP são cobiçados e podem valer até R$ 1,7 milhão


Levantamento feito pelo g1 mostra quanto custa viver em um prédio inclinado em frente à orla de Santos (SP). Prédios tortos na orla de Santos (SP) Vanessa Rodrigues/A Tribuna Jornal A cidade de Santos, no litoral de São Paulo, ficou conhecida nacionalmente como a 'capital' dos prédios tortos no Brasil por conta das mais de 300 construções que pendem para um dos lados. Apesar da situação peculiar, esses imóveis, muitos localizados na orla da praia, são bastante cobiçados e podem valer até R$ 1,7 milhão, com aluguéis estimados em até R$ 7 mil. ✅Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp. Apesar da fama dos prédios tortos na orla, um levantamento feito pela Prefeitura de Santos revelou que a situação é observada em outras partes da cidade. Ao todo, são 319 edifícios nessas condições, sendo que os 65 em frente às praias apresentam maior inclinação. O corretor de imóveis e gerente comercial da Roda Imóveis, Caio Ferreira de Souza, explicou que os prédios tortos são mais difíceis de serem vendidos, não apenas pela inclinação, mas por outros fatores como dificuldade de financiamento, ausência de vaga de estacionamento e preço do condomínio. "Esses apartamentos são com venda à vista porque os bancos não financiam mais. Não é que eles desvalorizam, mas a gente não consegue vender por financiamento", explicou Souza. Ele ressaltou, no entanto, que a locação não é difícil, o que dificulta é o preço dos condomínios, que são altos por causa de funcionários antigos ou pela troca por portaria terceirizada. "Da mesma forma que encarece a locação, acaba tendo desvalorização na venda". Qual o valor de um apartamento? Prédio torto, no bairro Embaré, em Santos (SP), é vendido por R$ 770 mil Roda Imóveis Um imóvel de 350 m² com um banheiro, dois quartos, sendo uma suíte, uma vaga na garagem e com vista ao mar, no bairro Aparecida: R$ 1,7 milhão (venda) + custos mensais com o condomínio R$ 2,1 mil, IPTU R$ 450 e taxas da Marinha Se for um com 147 m², com dois banheiros, três quartos, sendo uma suíte e uma vaga de garagem com vista lateral para o mar, no bairro Boqueirão: R$ 1,3 milhão (venda) + custos mensais com o condomínio R$ 1,4 mil, IPTU R$ 450 e taxas da Marinha Um pouco menor, com 88 m², dois banheiros, dois quartos, uma vaga de garagem com vista para o mar na Avenida Bartholomeu de Gusmão, no bairro Embaré: R$ 770 mil (venda) + custos mensais com o condomínio R$ 1,3 mil, IPTU R$ 245 e taxas da Marinha Com 77 m², um quarto, um banheiro, uma vaga de garagem e com vista para o mar, no bairro Boqueirão: R$450 mil (venda) + custos mensais com o condomínio R$ 900, IPTU R$ 92 e taxas da Marinha Por fim, um apartamento de 55 m² com dois quartos, um banheiro, sem vaga de garagem e com vista para o mar no bairro Aparecida: R$ 420 mil (venda) + custos mensais com o condomínio R$ 680, IPTU R$ 130 e taxas da Marinha E o aluguel? 220 m² com três dormitórios, sendo uma suíte, uma vaga de estacionamento: R$ 7 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) 110 m² com dois dormitórios, sendo um suíte, uma vaga de estacionamento: R$ 5,5 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) 58 m² com um dormitório: R$ 4,5 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) 79 m² com dois quartos, dois banheiros, uma vaga de estacionamento: R$ 4,4 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) 90 m² com dois dormitórios sem suíte, uma vaga de estacionamento: R$ 4,2 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) 40 m² (kitnet): R$ 2,7 mil o pacote (já incluído condomínio, IPTU e taxas da Marinha) Desvalorização Apartamento em edifício apelidado como 'Prédio do Torto' é vendido por R$ 450 mil Roda Imóveis Para o corretor, a desvalorização desses imóveis pode chegar a 30%. "Toda vez que um proprietário liga para a gente trabalhar a venda desses imóveis, [já sabemos que] é mais difícil e a gente já tem a obrigação de expor isso a ele". Além disso, o corretor ressaltou que as taxas da Marinha podem dificultar a venda de um imóvel, principalmente se ele não estiver no nome do atual proprietário. "O laudêmio [uma das taxas, mas esta só é aplicada na venda] não pode ser passado do primeiro comprador ao último, tem que passar por todos e dessa forma dificulta mais ainda a venda do apartamento". O edifício Núncio Malzoni teve uma valorização boa após ser reaprumado. Durante a obra, segundo o corretor, o condomínio estava alto. "Era invendável". Hoje, porém, Souza afirmou que alguns apartamentos são vendidos por aproximadamente R$ 1,3 milhão. "Valorizou. É um prédio bom, com localização maravilhosa, em frente à praia, no canal 4, e que está reto". LEIA MAIS: Moradoras de prédios tortos no litoral de SP abrem as portas de casa e contam curiosidades; VÍDEO Para a diretora de locação da Família Imóveis, Christiane Lourenço, um prédio com inclinação não muda o valor do aluguel. "Morar em frente à praia é um desejo muito grande. [...] e como o número de prédios com inclinação é grande, não tem muito preconceito com esses prédios". O fato de ser um prédio torto, segundo Christiane, também não impede a venda de um imóvel. "Na maior parte das vezes o empecilho de comprar ou vender um apartamento em frente à praia é o laudêmio [taxa da Marinha], pois precisa ver se a documentação está em ordem". O diretor-geral da mesma imobiliária, João Carlos Faneco Pereira, enfatizou que um prédio aprumado [alinhado] vale mais do que um torto. No entanto, o fato de ser mais inclinado não é um fator que impede as vendas. "A pessoa sabe que está comprando um imóvel torto, porém com o preço adequado aquela situação". LEIA TAMBÉM: É real isso?': prédios tortos em Santos assustam brasileiros e viralizam na web; entenda Trabalhador pendurado em fachada de prédio é resgatado; VÍDEO Prefeitura monitora 72% dos prédios inclinados da orla de Santos, SP Moradores dos prédios tortos de Santos sofrem com a desvalorização Estudo aponta que prédios de Santos têm inclinações de até 1,80 metro Levantamento A análise sobre a quantidade de edifícios tortos em Santos foi realizada por técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações (Siedi) após solicitação apresentada à prefeitura pelo vereador José Teixeira Filho, o Zequinha Teixeira (PP), que inclusive já recebeu ofício com os dados coletados. Zequinha demandou o Executivo após cobranças da população sobre o tema. "Precisamos saber o aumento do grau de inclinação a cada um ou dois anos, e se isso coloca os moradores em risco". De acordo com a prefeitura, apesar de os prédios estarem tortos, as condições atuais deles não indicam comprometimento das seguranças estruturais. Ao g1, o engenheiro civil Franco Pagani afirmou que nenhum prédio inclinado na cidade apresenta risco de queda, mas explicou que edifícios estreitos e altos demandam maior atenção pois inclinam com mais facilidade, enquanto os grandes e retangulares afundam e não geram perigo. Lei e laudos por segurança Santos, SP, tem 65 prédios tortos na região da orla da praia A Tribuna Jornal A Prefeitura de Santos informou que, a cada dois anos, exige que os edifícios apresentem laudos sobre a inclinação dos prédios. O objetivo é acompanhar se aumentou, estacionou e se alguma intervenção deve ser feita. A cobrança é feita com base na Lei Complementar 441 de 2001, que requer a apresentação de laudo de autovistoria técnica atestando as condições de segurança e estabilidade. As medições são acompanhadas pelo Programa dos Prédios Inclinados de Santos. A avaliação da necessidade de obras de reparos ou de manutenção da edificação são analisadas pelo responsável técnico pelo laudo. A prefeitura ressaltou que existem soluções técnicas e viáveis para resolver o problema da inclinação, mas é do condomínio a responsabilidade pela contratação de empresa especializada para execução das obras, enquanto o município fiscaliza. Prédios tortos na orla de Santos (SP) Vanessa Rodrigues/A Tribuna Jornal VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

source https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2023/10/02/imoveis-em-predios-tortos-no-litoral-de-sp-sao-cobicados-e-podem-valer-ate-r-17-milhao.ghtml
Close Menu