Golpe do consórcio contemplado: polícia investiga esquema que causou prejuízo de R$ 180 mil; saiba como evitar


Polícia Civil investiga ao menos 13 casos em Parobé. Golpistas oferecem cartas contempladas fraudulentas. Polícia Civil de Parobé investiga o golpe do consórcio contemplado A Polícia Civil de Parobé, na Região Metropolitana de Porto Alegre, investiga o golpe do consórcio contemplado. Ao menos 13 pessoas procuraram as autoridades para denunciar prejuízos com o golpe, supostamente cometido por um morador da cidade. Os golpistas que vendem cartas contempladas pelo consórcio de forma fraudulenta. A apuração está sob sigilo e a Polícia não divulga mais detalhes. Um dos alvos do golpe relata prejuízo de R$ 180 mil. Leia mais abaixo. As cartas são o prêmio de quem é contemplado pelo consórcio. Caso o contemplado não queira usufruir do valor para aquisição de um bem, há a opção de vender, para quem tenha interesse no crédito. Foi essa proposta que uma das vítimas, o operador de máquinas Jacson Pegorini, recebeu. Ele respondeu a um anúncio ofertando uma carta de crédito de R$ 230 mil em uma rede social. Era o que precisava para construir sua casa própria. INFOGRÁFICO: Entenda como funciona um consórcio A proposta era uma entrada de R$ 20 mil, e depois assumir 283 parcelas de R$ 940. Depois de transferir o valor inicial, ele não conseguiu mais falar com o vendedor. "Quando eles pararam de me respondid vi que tava perdido, né? Depois de duas semanas, dez dias, fiz um B.O na delegacia", afirma. Jacson chegou a receber uma suposta carta de crédito, mas segundo o banco, o documento é falso. "Era o único dinheiro que eu tinha né, pra poder fazer a minha casa, que eu moro de alguel. E agora eu tô assim, o dinheiro tá na mão deles, e eu continuo morando de aluguel", lamenta Jacson. Como evitar cair no golpe? Para não ser enganado, a principal dica é buscar o regulamento e entrar em contato com a administradora do consórcio ao receber uma proposta. A Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios alerta que, mesmo que um usuário queira vender a carta para outro, é preciso ser aceito pela administradora do consórcio, o que evita a ocorrência de fraudes. R$ 180 mil de prejuízo Um empresário de Novo Hamburgo, que prefere não se identificar, comprou dez consórcios e começou a pagar as prestações. Foi então que recebeu a proposta de comprar uma carta de crédito já contemplada de R$ 1 milhão. "A gente tinha que pagar o valor que ele [suposto vendedor] já tinha pago pelo consórcio. Disseram que tinha que pagar em torno de R$ 90 mil para o vendedor da carta, no caso, que ele não passaria pra nós sem receber o dinheiro antes". Mesmo sem ter acesso aos dados da carta, ele depositou os R$ 90 mil. Depois, recebeu mais pedidos por depósitos. "Ele foi pedindo várias vezes. Sempre tinha alguma coisa". Ele só percebeu o golpe quando o prejuízo já somava R$ 180 mil. A carta contemplada nunca foi entregue. "Eu conheci outras pessoas que caíram no golpe, e a história é sempre a mesma", afirmou. Alvos do esquema recebem propostas para comprar cartas contempladas, mas documentos são fraudulentos Reprodução VÍDEOS: Tudo sobre o RS

source https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2023/10/06/golpe-do-consorcio-contemplado-policia-investiga-esquema-que-causou-prejuizo-de-r-180-mil-saiba-como-evitar.ghtml
Close Menu