Brasileira que mora em cidade alvo de atirador nos EUA recebeu alerta do governo para procurar abrigo


Na noite de quarta-feira (25), um homem atacou dois estabelecimentos no estado do Maine, deixando 18 mortos e 13 feridos. Ele está foragido, armado e é considerado perigoso. Alerta enviado para moradores de Lewiston. Lê-se "Aviso: um atirador em atividade está localizado em Lewiston. Evite a área e busque abrigo imediatamente. As autoridades de Lewiston Autoridades de Lewiston farão o acompanhamento conforme a situação diminuir" Arquivo pessoal A brasileira Larissa Felix, de 26 anos, recebeu um alerta do governo de Lewiston, no Maine, Estados Unidos, orientando moradores a buscarem abrigo imediatamente porque havia um atirador ativo na cidade. Um homem de 40 anos atacou na noite desta quarta-feira (25) dois estabelecimentos no estado do Maine, nos EUA, deixando 18 pessoas mortas e outras 13 feridas, segundo informações divulgadas pela governadora do estado, Janet Mills, nesta quinta-feira (26). O suspeito está foragido, armado e é considerado perigoso. Ele teria 40 anos e é procurado pelas polícias das cidades de Lewiston, Boston e Nova York. Agentes do FBI também auxiliam nas operações, segundo a polícia. Ataque a tiros deixa mortos e dezenas de feridos nos Estados Unidos Larissa mora em Lewiston, cidade na qual um bar foi alvo de um atirador na noite desta quarta-feira (25). A brasileira frequentava o local com amigos e esteve no bar uma semana antes do ataque. “É um sentimento de medo e de tristeza [...] recebemos as notificações no celular para procurar abrigo e dizendo que havia um atirador em ação na região”, disse. Apesar de não ter amigos ou familiares entre as vítimas, Larissa diz que sente medo e tristeza. “[A vítima] é sempre um conhecido de um conhecido. O coração dói por eles.” Locais onde houve ataques nos EUA Juan Silva/g1 A polícia e o governo do Maine pediram para que as pessoas procurassem locais seguros e orientaram estabelecimentos comerciais e empresas a fecharem as portas. As aulas de quinta-feira (26) foram suspensas nas escolas públicas de Lewiston. Larissa trabalha como cuidadora em um abrigo para animais e não foi trabalhar. “Estamos todos em casa. Não há comércio aberto exceto postos de gasolina e farmácias. Estou evitando ir na rua até mesmo para não atrapalhar o trabalho da polícia”, disse. A cidade era tranquila e segura, segundo a brasileira. Ela afirma que não tinha receio de andar para qualquer lugar sozinha, e que dormia com janelas abertas e, às vezes, sequer trancava o próprio carro ao chegar em casa. O Maine, estado em que fica Lewiston, tem baixos índices de criminalidade: durante todo o ano de 2022, foram registrados 29 homicídios ao todo. Agora, Larissa diz que mudará a rotina e que passará “um bom tempo quieta em casa”. “Não vou mais andar sozinha, vou checar se está tudo trancado [em casa] e tomar cuidados em público. Depois de uma situação dessas, dá até um pouco de medo de simplesmente ir ao supermercado.” Massacre mais mortal de 2023 no EUA O massacre é o mais mortal de 2023, nos EUA, segundo levantamento do instituto Gun Violence Archive. O ataque mais violento da história recente do país aconteceu em Las Vegas, em 2017, quando 58 pessoas foram assassinadas e 441 ficaram feridas. Desde o início deste ano, 565 tiroteios em massa foram registrados no país, provocando a morte de 595 pessoas. No mesmo período do ano passado, foram 559 ocorrências que resultaram em 545 mortes.

source https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/10/27/brasileira-que-mora-em-cidade-alvo-de-atirador-nos-eua-recebeu-alerta-do-governo-para-procurar-abrigo.ghtml
Close Menu