Luísa Sonza faz bem ao alterar letra para preservar no repertório a melhor canção da discografia da artista


Feita em show em Porto Alegre, mudança em verso de 'Chico' enfatiza a referência já existente ao bolero 'Folhetim', composição de outro Chico, o Buarque. ♪ OPINIÃO – Amores passam, músicas ficam. Luísa Sonza pareceu ter consciência disso ao mudar a letra da apaixonada canção Chico em apresentação do show da turnê Escândalo íntimo na cidade de Porto Alegre (RS), na noite de sexta-feira, 29 de setembro. Ferida por ter sido traída pelo namorado, em caso que se tornou público e deu caráter premonitório ao título do álbum Escândalo íntimo (2023), lançado em 29 de agosto, a artista foi certeira ao suprimir o nome do muso inspirador da letra da música romântica – o agora ex-namorado Chico Veiga, vulgo Chico Moedas – e, assim, preservar no repertório a melhor canção do álbum Escândalo íntimo (e de toda a discografia da artista...) com mudança em um único verso. Em vez de “Chico, se tu me quiseres”, como consta no verso do refrão da letra original, Sonza cantou “Se acaso me quiseres”, enfatizando na simples mudança a já existente referência ao bolero Folhetim (1978), composto por Chico Buarque e propagado na voz de Gal Costa (1945 – 2022) em gravação feita para o álbum Água viva (1978). A partir de agora, o Chico da canção passa a ser o Buarque, como ressaltou Luísa. Com levada de bossa nova no toque do violão, Chico é canção de autoria atribuída à própria Luísa Sonza em parceria com Bruno Caliman, Carolzinha, Douglas Moda e Jeni Mosello. Caliman – cabe lembrar – é bem-sucedido compositor do universo sertanejo, já tendo fornecido canções melodiosas para cantores como Luan Santana. Tudo indica que a contribuição de Caliman na criação da canção foi decisiva para que Chico soasse tão atípica no álbum Escândalo íntimo e na própria discografia da artista gaúcha. E o fato é que a canção já tinha se tornado um hit viral antes do rompimento da cantora com o namorado, paixão que a inspirou a escrever essa música que se tornou emblemática no repertório e na carreira de Luísa Sonza. Para o bem e para o mal, Chico já está na história da música brasileira do século XXI. Em outras palavras, o namoro de Luísa Sonza se foi. Mas Chico – a música – fica.

source https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2023/10/01/luisa-sonza-faz-bem-ao-alterar-letra-para-preservar-no-repertorio-a-melhor-cancao-da-discografia-da-artista.ghtml
Close Menu