carnaval de ofertas

Cavernas, rios e belezas naturais: conheça os locais que inspiraram Guimarães Rosa no romance 'Grande Sertão: Veredas'


Globo Repórter percorreu aproximadamente 3.500 quilômetros, envolvendo caminhadas, escaladas, travessias de estradas e rios, desvendando o cenário que o escritor revelou ao mundo. Assista à íntegra. Cavernas, rios e belezas naturais: conheça os locais que inspiraram Guimarães Rosa no romance 'Grande Sertão: Veredas' O Globo Repórter desta sexta-feira (15) apresentou a primeira parte de uma expedição aos cenários naturais que inspiraram Guimarães Rosa em sua icônica obra "Grande Sertão: Veredas". A região é hoje um mosaico com diversas áreas de proteção ambiental. A reportagem percorreu aproximadamente 3.500 quilômetros, envolvendo caminhadas, escaladas, travessias de estradas e rios, desvendando o cenário que o escritor revelou ao mundo. Veja fotos abaixo. A bióloga Mônica Meyer, que dedica 30 anos de estudo à natureza nas obras de Guimarães Rosa, enfatiza os recados deixados pelo escritor. “A natureza para Guimarães Rosa, não é um cenário, não é um palco. Ela é uma criatura, é um personagem animado, e animado no sentido de ânimo: que tem alma. Então a natureza fala! Dá recados e o exercício de Guimarães Rosa, é de escutar o que ela tem a dizer", diz a bióloga. Peruaçu A primeira parte da expedição destaca as belezas naturais do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, em Minas Gerais, um lugar pré-histórico que se formou ao longo de cerca de 3 milhões de anos e conta com 250 cavernas mapeadas. Um dos destaques é a caverna janelão, com abertura em formato de coração. Caverna do Janelão possui abertura em forma de coração. TV Globo/Reprodução O Peruaçu também é marcado por cânions com até 200 metros de altura, e aves raras, como a Choca-do-planalto e o Surucuá, que habitam a área. A gruta do índio guarda mistérios que a ciência ainda busca desvendar: registros de ocupação humana no interior do Brasil de 14 mil anos. Pinturas em cavernas escondem segredos de civilizações que viveram há milhares de anos no Brasil. TV Globo/Reprodução Córrego Catolé A reportagem conheceu ainda a comunidade veredeira de Água Doce, Cabeceira do Córrego de Catolé. Os buritis, árvores típicas desse ambiente, se espalham por 120 quilômetros de veredas, fornecendo matéria orgânica essencial para a produção de alimentos. Córrego Catolé Reprodução/TV Globo Rio Pandeiros Outro destaque da expedição foi o Refúgio Estadual de Vida Silvestre do Rio Pandeiros, que tem 61 quilômetros quadrados. Esse lugar único em Minas Gerais tem uma vasta planície alagada que desagua no Rio São Francisco, e é conhecido como o Pantanal Mineiro. Rio Pandeiros Reprodução/TV Globo Sertão Veredas A expedição também adentrou o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, explorando a riqueza da vida selvagem e a conservação do cerrado. Biólogos registram a fauna da área, incluindo o lobo guará, o maior canídeo da América do Sul, que encontra paz nessa região. O lobo guará, o maior canídeo da América do Sul, encontrado no Parque Nacional Grande Sertão Veredas Reprodução/TV Globo Confira as últimas reportagens do Globo Repórter:

source https://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2023/09/16/cavernas-rios-e-belezas-naturais-conheca-os-locais-que-inspiraram-guimaraes-rosa-no-romance-grande-sertao-veredas.ghtml
Postagem Anterior Próxima Postagem