Chuva de meteoros Perseidas, a maior do ano, terá pico neste fim de semana e pode ser vista em todo o Brasil


Fenômeno poderá ser conferido até o dia 24, mas com intensidade será menor depois deste fim de semana. Estrelas cadentes não existem A chuva de meteoros Perseidas terá seu pico de visibilidade no Brasil neste fim de semana, 12 e 13 de agosto, com até 100 meteoros por hora podendo ser avistados de acordo com a visibilidade em cada região. O fenômeno em si poderá ser conferido até o dia 24, mas com menor intensidade. De modo geral, as condições para visualização serão ideais, uma vez que a Lua estará se encaminhando para o ponto mais distante da Terra (o que deve acontecer no dia 16), tornando o céu noturno idealmente escuro para emoldurar o espetáculo. De acordo com Alex Ganshin, CEO da plataforma de meteorologia Meteum, Manaus, Cuiabá e Belém estão entre as melhores cidades para ver a chuva de meteoros, enquanto São Paulo e Curitiba podem não ser os melhores lugares devido à baixa visibilidade, nuvens e chuva. Veja abaixo as condições de visibilidade para cada estado do país: Visibilidade baixa: Acre, Maceió, Paraná, Pernambuco, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo Visibilidade padrão: Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Fortaleza, Brasília, Espírito Santo, Goiás, MAranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e Tocantins. Os meteoros Perseidas são parte do cometa Swift-Tuttle, que fez sua última aparição em 1991. O cometa tem um núcleo de 26 quilômetros, que é mais do que o dobro do tamanho do objeto celeste que levou ao desaparecimento dos dinossauros. Segundo a Nasa, ele leva 133 anos para reaparecer em nosso céu, ou seja, deve retornar apenas em 2125. Como encontrar? Constelação de Cassiopeia, na forma da letra 'w', ao lado esquerdo da constelação de Perseus. Reprodução/Wikipedia Uma vez fora de casa, procure a constelação de Perseus — as Perseidas recebem esse nome porque os meteoros parecem cair dessa área no céu. No entanto, pode ser melhor procurar Cassiopeia, já que essa constelação se parece um pouco com a letra 'w' e pode ser um pouco mais fácil de reconhecer. Existem vários aplicativos gratuitos para celular que mostram a localização exata de cada uma, basta habilitar o uso da câmera e apontá-la para o céu. Próximos eventos astronômicos No segundo semestre do ano ocorrerão mais dois eclipses, outra superlua e outras seis chuvas de meteoros. Veja abaixo as datas de cada um deles: Superluas e eclipses 🌕 31 de agosto - Superlua azul (visível em boa parte do país); ☀️14 de outubro - Eclipse solar anular (visível em boa parte do país); 🌗 28-29 de outubro - Eclipse lunar parcial (visível em uma pequena parte do país). Chuvas de meteoros Taurids: ativa de 10 de setembro a 20 de novembro no Hemisfério Sul (pico: de 10 a 11 de outubro no Hemisfério Sul). Pico de meteoros por hora: 5. Draconids: ativa de 6 a 10 de outubro (pico: de 8 a 9 de outubro). Pico de meteoros por hora: 10. Orionids: ativa de 2 de outubro a 7 de novembro (pico: de 21 a 22 de outubro). Pico de meteoros por hora: 25. Leônidas: ativa de 6 de novembro a 30 de novembro (pico: de 17 a 18 de novembro). Pico de meteoros por hora: 10. Geminidas: ativa de 4 a 20 de dezembro (pico: de 14 a 15 de dezembro). Pico de meteoros por hora: 150. Ursids: ativa de 17 a 26 de dezembro (pico: de 22 a 23 de dezembro). Pico de meteoros por hora: 10. Estação instalada em Pardinho (SP) flagrou mais de 200 meteoros Perseidas William Schauff/GMN/Bramon/Divulgação

source https://g1.globo.com/ciencia/noticia/2023/08/12/chuva-de-meteoros-perseidas-a-maior-do-ano-tera-pico-neste-fim-de-semana-e-pode-ser-vista-em-todo-o-brasil.ghtml
Close Menu