Mulher vence preconceito e realiza sonho de ser caminhoneira: ‘Falaram para eu desistir'


Daniele França viu o pai dirigindo caminhões e superou dificuldades para conseguir trabalhar onde queria. Motorista vence preconceito e realiza sonho de ser caminhoneira: ‘Falaram para desistir' Em uma das maiores empresas de logística do país, o aquecimento do setor gerou 30 mil empregos diretos e indiretos. Um deles é o de uma mulher que venceu o preconceito e realizou um sonho muito antigo: se tornou caminhoneira. A motorista Daniele França participou de um longo processo seletivo na empresa onde trabalha, no interior de São Paulo. E agora tem três anos trabalhando, onde dirige caminhões muito grandes. Conquista de um sonho que tinha desde criança. “Eu cresci com o meu pai no caminhão. Sempre quando eu entrava no caminhão, falava: ‘ainda vou ser motorista de caminhão’. Ele falava: ‘vai estudar’”, conta. Motorista vence preconceito e realiza sonho de ser caminhoneira: ‘Falaram para eu desistir' Reprodução/Grep A carreteira teve que superar uma corrente de pessoas que tentavam demovê-la da ideia, que era não só o seu objetivo profissional, mas também o seu sonho. “Quantas pessoas falaram para mim: ‘desista do seu sonho’, ‘desiste disso daí, isso não é sonho não, é loucura’. Eu falava: ‘não, é meu sonho’. Está na minha pele”, diz Daniele. “Eu tenho certeza que está no meu sangue, e pulsa no meu coração”. Mais mulheres na direção Uma empresa de logística do ABC Paulista investiu em dois fatores novos no trabalho: a tecnologia e as mulheres. Dos 80 motoristas contratados para levar peças automotivas, 24 são do sexo feminino. Elas foram treinadas para executar a profissão e para lidar com as inovações dos caminhões. Empresa de logística do ABC Paulista investe em caminhoneiras mulheres Os caminhões da empresa só ligam depois que o teste do bafômetro dá negativo. E com a liberação, a carreteira Silvana Dantas pode começar a trabalhar. Ela, que dirige desde 1995, aprendeu com os cursos de qualificação a acompanhar as mudanças tecnológicas dos veículos. “A gente já tem esse primeiro treinamento para ver como a gente vai se portar, fazer tudo direitinho para ver se não tem nenhum acidente. E depois com o decorrer do tempo a gente vai aprimorando mais, vai tendo mais cursos”, explicou a “Coração”, como é chamada pelas companheiras de trabalho. Veja a íntegra do programa abaixo: Edição de 14/07/2023 Confira as últimas reportagens:

source https://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2023/07/14/mulher-vence-preconceito-e-realiza-sonho-de-ser-caminhoneira-falaram-para-eu-desistir.ghtml
Close Menu