Mãe conta rotina solitária de visitas e espera pela liberdade do filho preso: 'meu amor sobrevive ao cárcere'


O filho de Fernanda tem 20 anos e está preso na Penitenciária Irmão Guido, Zona Sul de Teresina, desde janeiro de 2021. Conheça o relato de uma mãe que vai “comemorar” o Dia das Mães com o filho preso. Mãe de filho atrás das grades: “meu amor sobrevive ao cárcere”. Isabela Leal / g1 PI Muros altos, celas e quatros anos de prisão é o que separa a vendedora de bombom Fernanda Soares do filho de 20 anos que está preso na Penitenciária Irmão Guido, Zona Sul de Teresina, desde janeiro de 2021. Toda semana a rotina dela é certa, separar frutas e material higiênico para levar ao filho. Fernanda relata que ser mãe de presidiário “é solitário e vazio”. Segundo ela, por conta da situação do filho, é constantemente vítima de preconceito e não consegue ser contratada para trabalhar. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram “Antes eu trabalhava em um supermercado. Depois que meu filho foi preso, não consigo fazer nada. Preciso vender bombom na rua. Mas nem me preocupo tanto comigo. Fico o dia todo, 24 horas pensando nele. É muito doloroso”, disse. Penitenciária Irmão Guido, Zona Sudeste de Teresina. Isabela Leal / g1 PI Nesse próximo domingo (14), data em que se comemora o Dia das Mães, Fernanda contou que, assim como nos dois últimos anos, vai passar a data sozinha. “Tento ficar próxima da minha mãe pra sentir um pouco de amor. A gente que é mãe quer o melhor do mundo para os nossos filhos. Tenho outros dois filhos que moram em São Paulo. Vivo sozinha. Me rasga o peito não ter meus filhos nos braços”, lamentou. Penitenciária Irmão Guido, Zona Sudeste de Teresina. Isabela Leal / g1 PI Assim como Fernanda, centenas de mães que têm os filhos presos normalmente não têm as histórias contadas. Fernanda é uma entre centenas de mães que passarão essa data sem os filhos por perto. “Eu pago pelo crime dele, porque me sinto presa junto com ele. Ele lá naquela cela gelada e eu aqui fora. Até meus familiares se afastaram de mim. Meu único momento de felicidade é pegar meu sacolão e trazer os mantimentos para o meu menino uma vez na semana”, disse. A Penitenciária Irmão Guido tem hoje 443 presos, mas a capacidade é para 300. O chefe de disciplina da penitenciária, Alex Damasceno, relata que ações sociais dentro do presídio são realizadas a fim de restabelecer a vida dos detentos, ainda na cadeia. Penitenciária Irmão Guido, Zona Sudeste de Teresina. Isabela Leal / g1 PI “Queremos que eles saiam daqui com a chance de ter uma nova vida lá fora. Por isso valorizamos o bom comportamento, trabalhamos a questão social, como a emissão de 1ª e 2ª via de identidade dos presos. Vamos implantar o serviço de aulas de diversas matérias para os detentos e estamos reformando a unidade para ampliar esses serviços”, disse. O jovem de 20 anos, filho de Fernanda, que não teve a identidade revelada, foi preso por receptação, ao ser pego pilotando uma moto roubada. Ele deve ser posto em liberdade em 2025. Fernanda conta os sonhos e desejos para este Dia das Mães. “Meu sonho é ver meu filho livre. Eu falo com ele quando venho visitar e ele me pede perdão e diz que mudou. Eu olho para ele, com o cabelo cortado, o rosto triste e sinto no peito a dor de não poder abraçar. Com isso me sinto mais só. É uma realidade que não desejo para ninguém. Mas mesmo assim, meu amor sobrevive ao cárcere”, disse emocionada. *Estagiária sob supervisão 📲 Confira as últimas notícias do g1 Piauí 📲 Acompanhe o g1 Piauí no Facebook, no Instagram e no Twitter VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube

source https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2023/05/14/mae-conta-rotina-solitaria-de-visitas-e-espera-pela-liberdade-do-filho-preso-meu-amor-sobrevive-ao-carcere.ghtml
Close Menu